Politica

Ferro confirma que alguém usou password de José Silvano no Parlamento

Presidente da Assembleia da República solicitou esclarecimentos aos serviços e avisou líder parlamentar do PSD e ao secretário-geral social-democrata. José Silvano já pediu para lhe marcarem as faltas.

O presidente do Parlamento, Ferro Rodrigues, pediu esclarecimentos aos serviços da Assembleia da República sobre o registo de presenças do deputado José Silvano, secretário-geral do PSD, em plenário, depois de ter sido noticiado que o parlamentar tinha estado ausente nos dias 18 e 24 de outubro, em trabalho político, apesar de não ter falta  no sistema dos serviços.

Na resposta, três departamentos da Assembleia da República concluíram que “a password do senhor deputado José Silvano terá sido utilizada por pessoa diferente do Senhor Deputado, enquanto este se encontrava ausente do Plenário”.

Em comunicado, Ferro Rodrigues começa por explicar que “ permanece assinalada a presença do senhor deputado José Silvano, no dia 18 de outubro de 2018”. no site do Parlamento, a mesma data em que José Silvano esteve em trabalho político em Vila Real,  conforme noticiou o Expresso.

O Parlamento esclareceu ainda, em jeito de pressão, sobre a bancada do PSD e do próprio José Silvano, que as password de acesso e voto eletrónico são pessoais e intransmissíveis. Mais, o sistema foi atualizado no mês de julho, contrariando a versão de Silvano, dada ao Expresso, de que sempre teve a mesma password, logo seria mais fácil alguém a ter usado.

A direção da bancada do PSD, liderada por Fernando Negrão, e o próprio José Silvano foram avisados das respostas dos serviços pelo gabinete do presidente do Parlamento. O visado emitiu, entretanto, um comunicado, divulgado pelo PSD, onde garante que nunca foi seu intuito obter dividendos financeiros com o registo de presenças, quando, de facto, estava fora do Parlamento. Por isso, “quanto às faltas não justificadas ao plenário nos dias 18 e 24 de outubro de 2018, dirigi um requerimento ao Sr. Presidente da Assembleia da República, solicitando que fossem marcadas as respetivas faltas. Justifiquei também as razões para que tal procedimento não tivesse ainda ocorrido”, adiantou José Silvano.

O deputado não esclareceu, contudo, como ficou registada a  sua presença, quando estava fora de Lisboa. José Silvano prefere justificar que tem direito às senhas de presença, no valor diário de 69 euros, porque mesmo não tendo comparecido no Plenário, teve outras atividades em comissão parlamentar.

O presidente do grupo parlamentar do PSD, Fernando Negrão, preferiu remeter o problema para José Silvano porque “estas questões resolvem-se no âmbito da relação do deputado com o eleitor”, conforme explicou ao i.

[noticia atualizada às 20h58]