Politica

Pedro Filipe Soares. "Não falamos da direita porque ela não conta para o futuro do país"

O líder parlamentar do Bloco respondeu aos críticos que acusam o partido de não ter falado da direita na XI Convenção Nacional 

Pedro Filipe Soares começou a sua intervenção na XI Convenção Nacional do Bloco de Esquerda respondendo aos críticos que afirmam que a direita tem sido esquecida neste encontro dos bloquistas. O líder parlamentar do partido sublinhou que "não falamos da direita porque ela não conta para o futuro do país".

O bloquista lembrou que o PSD e o CDS apoiam a candidatura de Manfred Weber, do Partido Popular Europeu, à Comissão Europeia, quando o candidato chegou a pedir sanções económicas para o povo português. "Esse foi o candidato que a direita escolheu. A direita não conta para o futuro do país", salientou. Já o Bloco, afirma Pedro Filipe Soares, "vai de braço dado" com Marisa Matias que lutou contra essas mesmas sanções.

O líder parlamentar do Bloco de Esquerda respondeu também àqueles que acusou os bloquistas de estarem "no bolso do PS". "Se estamos por que é que se irrita tanto António Costa com o Bloco? A realidade nao é assim. A vossa crítica seria o sonho de Costa. Mas o Bloco é a voz mais critica do Parlamento e não deixa nunca de dizer o que pensa", afirmou.

Para Pedro Filipe Soares, o Bloco "é o partido que está a mudar a política no nosso país". O líder parlamentar dos bloquistas afirmou que sempre tentaram dividir os partidos entre os que "têm votos para a governação e os que têm votos para a inconsequência", mas que isso está a mudar. "Essa elite que faz essa distinção não nos pode ver. Para eles, somos uma anomalia que tem de ser combatida. Se já conseguimos isso o que fará o Bloco se tiver mais força nas eleições legislativas?", questinou.

Lembrando o slogan que marcou esta convenção, "Agora, a Esquerda", o bloquista afirmou que está na hora do "sonho" subir "ao poder". "Agora, um governo de esquerda. Agora, o Bloco de Esquerda a governar", terminou, sendo aplaudido de pé.