Desporto

Liga das Nações. Mário Rui promete Portugal ambicioso

O lateral-esquerdo luso, que atua há várias temporadas em Itália, garante que a seleção nacional não vai jogar para o empate em Milão este sábado, apesar de só precisar desse cenário para se apurar para a final four

Um dos jogadores da seleção portuguesa com maior conhecimento do futebol italiano é Mário Rui. O lateral-esquerdo luso atua em terras transalpinas há oito anos e alerta para os perigos que Portugal poderá enfrentar este sábado em Milão, perante uma squadra azzurra que "mudou para melhor".

"Basta ver os últimos resultados. Melhorou bastante. Melhorou a sua forma de jogar, e vamos defrontar uma equipa que está muito bem neste momento, mas queremos dar continuidade ao que temos feito. Falta só um ponto, mas objetivo foi sempre fazer os três pontos. É isso que vamos tentar: fazer os três pontos para assegurar o primeiro lugar já", frisou esta quinta-feira, assumindo que irá viver um "jogo especial". "Já estou há alguns anos em Itália e vou defrontar alguns colegas de equipa", realçou Mário Rui, confirmando ter trocado impressões sobre a partida com Lorenzo Insigne, avançado italiano com quem partilha o balneário no Nápoles: "Sim, normalmente existem essas conversas. E como tenho uma boa relação com o Insigne, falámos muito sobre isso, mas o que falámos vai ficar entre nós. É um prazer enorme poder jogar contra a Itália e contra um colega como o Lorenzo."

Do outro lado, Roberto Mancini voltou a deixar o aviso: Itália ainda acredita na possibilidade de se apurar e vai fazer tudo para o conseguir. "Desde o início da competição que o nosso objetivo é chegar à fase final da Liga das Nações. Perdemos em Portugal, mas jogámos com uma equipa muito jovem, mas acho que agora temos a possibilidade de os derrotar em Milão. E depois temos de ficar à espera para ver o que acontece no Portugal-Polónia. Queremos dar seguimento aos bons dois jogos que fizemos antes e quero ver uma equipa de ataque, sobretudo por jogarmos para o público de San Siro, um estádio que enche sempre que a seleção joga lá", frisou o selecionador italiano, lembrando os dois encontros entre Portugal e Itália que se disputaram no San Siro e nos quais Mancini participou como jogador: 3-0 em 1987 e 1-0 em 1993. "Ganhámos esse jogo com um golo do Dino Baggio, num 17 de novembro, exatamente a mesma data do jogo de sábado… pode ser um bom presságio", perspetivou.

Na partida deste sábado, recorde-se, Portugal pode carimbar desde já o apuramento para a final four da Liga das Nações: basta-lhe um empate. Em caso de derrota, fica obrigado a bater a Polónia na terça-feira, em Guimarães, para assegurar o objetivo principal. A seleção portuguesa viaja na tarde desta quinta-feira para território italiano - no último treino, realizado esta manhã, Raphael Guerreiro, a contas com mialgias, foi a única ausência.

Pelo que foi possível ver no período do treino aberto à comunicação social, Fernando Santos voltou a dividir o grupo em duas equipas, deixando antever que o onze para defrontar a squadra azzurra já está escolhido: Rui Patrício; João Cancelo, José Fonte, Rúben Dias e Mário Rui; Rúben Neves, Pizzi e William Carvalho; Bernardo Silva, André Silva e Bruma. Pepe vai cumprir castigo, por acumulação de amarelos, voltando a estar disponível para o selecionador no encontro frente aos polacos.