Politica

PCP afirma que ligações entre o PAN e o IRA assumem "particular gravidade"

Para os comunistas, a situação exige uma esclarecimento por parte do partido e o "apuramento de responsabilidades". Os Verdes também querem "explicação cabal ao país"

O PCP defende que "as notícias que envolvem dirigentes do PAN em atividades criminosas realizadas a pretexto da defesa dos animais assume particular gravidade". Os comunistas referem-se a uma reportagem da TVI que avança que Cristina Rodrigues, membro da comissão política do PAN e chefe de gabinete na Assembleia da República, está a ser investigada pela PJ por alegadas ligações ao grupo extremista de defesa dos animais Intervenção e Resgate Animal (IRA).

Através de um comunicado, o partido liderado por Jerónimo de Sousa afirma que "as ligações e relacionamentos estabelecidos entre o PAN e essas atividades" exigem uma esclarecimento por parte do partido e o "apuramento de responsabilidades".

"Sem precipitar juízos sobre esta situação concreta, o que deve ser assinalado é uma prática subjacente ao projecto político do PAN que, sob o manto de preocupações sobre a natureza e os animais, e assente num discurso de intolerância, promove uma orientação deincriminação, de estímulo à delação e de criminalização de hábitos sócio-culturais, em si mesmo caldo de cultura para justificação de práticas criminosas", refere o documento. 

A dirigente d'Os Verdes Heloísa Apolónia também defendeu hoje que "a bola está do lado" do PAN, partido que deve uma "explicação cabal ao país" sobre a sua ligação ao grupo extremista IRA. "Relativamente às acusações que são feitas de ligação direta do PAN ao IRA, consideramos que são gravíssimas, a confirmar-se. Temos consciência dessa gravidade e a bola está do lado do PAN, que deve de facto uma explicação cabal sobre essa situação ao país", afirmou, ao declarações aos jornalistas no parlamento.