Vida

O desabafo de Susana Vieira: "Tiveram de me trocar a fralda" | VÍDEO

"Eu tenho pavor de morrer", revela a atriz brasileira

DR  

Em entrevista ao programa Fantástico, Susana Vieira falou sobre o momento em que os médicos lhe disseram que tinha leucemia linfocítica crónica, um género menos agressivo da doença.

“A primeira pergunta que eu lhe fiz [ao médico] foi: ‘Eu vou morrer quando?’ E ele disse que eu vou morrer, sim. Mas não necessariamente dessa doença”, contou a atriz brasileira.

Após o diagnóstico, em 2016, Susana Vieira continuou a viver o dia-a-dia normalmente – só um ano depois é que começou a sentir os primeiros sinais da doença. Um dos primeiros episódios ocorreu quando regressava ao Brasil, vinda de uma visita ao filho, em Miami. . “Fui para lá ver meus netos, meu filho. Apanhei um resfriado, uma gripe horrorosa, entrei no avião sem ar nenhum, com muita dor no peito, no pulmão. Cheguei aqui e não conseguia subir as escadas da minha casa, sem ar e sem conseguir andar. Minhas pernas falharam. Aí eu tive de ficar na unidade de cuidados intensivos quase dez dias”, recordou.

“Tiveram de trocar a minha fralda, porque eu não me podia levantar. Quando eu me vi tão exibida, tão vaidosa, tão Senhora do Destino, tão rainha de bateria, a bailarina do Teatro Municipal, a Susana Vieira, com uma enfermeira a ter de trocar a minha fralda porque eu não dava conta. Isso foi muito pesado. Pelo lado da minha vaidade. Aí bateu: vês que estás doente”, acrescentou a atriz, visivelmente emocionada.

A atriz teve de se submeter a quimioterapia, mas os tratamentos não provocaram perda de cabelo, algo que Susana Vieira temia.

A atriz diz que não falou mais cedo sobre a doença por ter medo de “ficar dependente do desemprego e da solidão” e por ter “vergonha” de ter ficado doente. “Eu batia no peito que tinha 50, 60, 70 anos, com muita saúde. Eu tenho pavor de morrer, se a morte chegar, eu vou esbofeteá-la”, acrescentou.