Sociedade

Proprietário da pedreira garante que havia margem de segurança para a estrada

"Não quero estar a exagerar, mas havia uma margem de cinco seis metros”

O proprietário da pedreira junto à estrada municipal 255 – que liga Borba e Vila Viçosa – , e que abateu na segunda-feira, acredita que havia condições de segurança, tanto da exploração como da via que ruiu.

"A segurança estava lá", garantiu Jorge Plácido Simões, citado pela SIC Notícias. "Não quero estar a exagerar, mas havia uma margem de cinco seis metros para a estrada. A pedreira tinha um muro e rede de proteção", acrescentou esta terça-feira.

O proprietário da pedreira adiantou ainda ter um relatório elaborado pelo Instituto Superior Técnico que confirmava a estabilidade da pedreira. E garantiu que tinha feito os trabalhos que aqueles estudos, realizados em "2011 ou 2012", tinham apontado como necessários.

Jorge Plácido Simões explicou também que a exploração estava desativada há cerca de um ano "por não ser viável" economicamente.