Vida

Toy explica comentário polémico sobre a morte da ex-amante

Cantor alega que as suas palavras foram mal interpretadas

Toy foi contactado pela imprensa para comentar a notícia que dava conta da morte de Elisabete Silva, a mulher com quem teve um caso extraconjugal e que o acusou de não perfilhar o filho.

O cantor disse, no programa Júlia na SIC, que recusou várias vezes fazer qualquer comentário, mas, após muita insistência, afirmou: “Todos os dias morrem pessoas e nascem, felicidade para quem morre, tristeza para quem nasce”.

O comentário valeu-lhe várias críticas o que deixou o cantor “magoado”. “As pessoas vão ler aquilo e o que é que vão pensar, que sou insensível, mau caráter”, sublinhou Toy.

O cantor fez ainda questão de frisar que a imprensa deu muito destaque a este comentário, destaque esse que não foi dado aos resultados de dois testes de ADN que provaram que o filho da ex-amante não era seu.

“Nunca desejei mal a ninguém, perdoei a indemnização, prestei-me a tudo aquilo que fosse necessário, mas isto ninguém diz. (...) Foi uma coisa tão passageira, tão normal e eu nunca violei ninguém, nunca enganei ninguém, toda a gente sabia que eu era casado. Se alguém cometeu alguma coisa de mais grave, provavelmente é uma mulher que sabe que o homem é casado e o tenta para ir para a cama”, defendeu.

Perante a frase do cantor, a apresentadora Júlia Pinheiro respondeu: “Isso aí nós podíamos discutir”.

Toy tentou mais uma vez justificar as suas palavras: “Mas eu já disse que tenho defeitos e um dos meus defeitos do passado é que não podia ver uma árvore com uma saia”.