Vida

“Sorria para todos e chorava às escondidas”

A atriz Joana Câncio falou sobre a maternidade e aproveitou para recordar alguns momentos mais complicados por que passou.

Joana Câncio foi mãe pela segunda vez no passado mês de setembro e, nas redes sociais, fez um desabafo sobre alguns momentos que mais a marcaram durante a maternidade.

“Mães, pais, estamos juntos! Um viva para todas as pessoas que cuidam de um ser humano. Quando tive a Constança tinha 26 anos e tudo era uma novidade, uma excitação. Era muito, muito nova e via tudo de forma diferente, como se estivesse à procura de algo. Da felicidade, talvez. Da aprovação dos mais velhos, de amigos. À procura de amor. De ser amada. Não me sentia amada. Nem por mim nem por ninguém: mas sorria para todos e chorava às escondidas. Obrigada mãe por estares sempre comigo. Depois tudo mudou. A Constança mudou-me. Desafiou-me e arrancou de mim maturidade. Obrigou-me a ver. A ver-me e a vê-la. E eu vi. Tudo. E acordei. E agora tenho tanto mais para ver”, começou por escrever a atriz, afirmando que neste momento vive a maternidade de uma forma diferente da primeira vez.

“Só que os meus olhos já não são os meus olhos, eles estão no meu coração e tudo o que vejo agora, sinto e olho com a maior calma que consigo. Às vezes não consigo, mas vou conseguindo cada vez mais. Já sinto amor, por todos! Por mim. Já me olho com carinho apesar da barriga e da celulite. Na verdade, todo o meu corpo é também deles e tudo o que está nele deu vida à maior descoberta de todas: o amor. Aquele de verdade. Aquele que dói, que é louco e passado um minuto é calmo. Já me sinto amada por um homem de verdade e consigo sentir que o mereço. E consigo retribuir, sem medo. Já me sinto a viver, sem correr. Tem dias, mas já vão sendo mais. Vai correr tudo bem”, terminou Joana Câncio.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Real life, at 10am 😃💪 Mães, Pais, estamos juntos! Um VIVA!!!!!!!! para todas as pessoas que cuidam de um ser humano. Quando tive a Constança tinha 26 anos e tudo era uma novidade, uma excitação. Era muito muito nova e via tudo de forma diferente, como se estivesse à procura de algo. Da felicidade, talvez. Da aprovação dos mais velhos, de amigos. À procura de Amor. De ser amada. Não me sentia amada. Nem por mim nem por ninguém: mas sorria para todos e chorava às escondidas. Obrigada Mãe por estares sempre comigo. Depois tudo mudou. A Constança mudou-me. Desafiou-me e arrancou de mim maturidade. Obrigou-me a Ver. A Ver-Me e a Vê-La. E eu Vi. Tudo. E acordei. E agora tenho tanto mais para ver! Só que os meus olhos já não são os meus olhos, eles estão no meu coração e tudo o que vejo agora, sinto e olho com a maior calma que consigo. Às vezes não consigo 😂😂 mas vou conseguindo cada vez mais. Já sinto amor, por todos! Por mim. Já me olho com carinho apesar da barriga e da celulite. Na verdade, todo o meu corpo é também deles e tudo o que está nele deu vida à maior descoberta de todas: o Amor. Aquele de verdade. Aquele que dói, que é louco e passado um minuto é calmo. Já me sinto amada por um homem de verdade e consigo sentir que o mereço. E consigo retribuir, sem medo. Já me sinto a viver, sem correr. Tem dias, mas já vão sendo mais. Vai correr tudo bem.

A post shared by Joana Câncio (@joanacancio_oficial) on