Internacional

Gases responsáveis por aquecimento global atingiram níveis máximos em 2017

Em 2017 manteve-se o aumento das concentrações de CO2, que agora são 46% superiores aos níveis da atmosfera antes da revolução industrial. Organização Mundial de Meteorologia alerta "a janela de oportunidade para agir está quase fechada”

As análises mais recentes revelam que gases responsáveis pelo efeito de estufa, como o dióxido de carbono (CO2), o metano e o óxido nitroso atingiram os seus níveis máximos em 2017.  De acordo com a agência da ONU, a Organização Mundial de Meteorologia (OMM), em 2017 manteve-se o aumento das concentrações de CO2, que agora são 46% superiores aos níveis da atmosfera antes da revolução industrial.

O aumento deste gás entre 2016 e 2017 foi menor do que de 2015 para 2016, mantendo-se, todavia, próximo da taxa média de crescimento observada na última década. Esta diminuição é explicada pelo fenómeno climático El Niño, que teve início em maio de 2015 e estendeu-se até ao ano seguinte. Isto provocou secas em algumas partes do mundo, reduzindo a capacidade das florestas e da vegetação nessas áreas de absorver CO2, permanecendo mais na atmosfera.

O secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, fez notar que “a ciência é clara. Sem cortes rápidos no CO2 e outros gases do efeito de estufa, as mudanças climáticas terão impactos cada vez mais destrutivos e irreversíveis para a vida na Terra. A janela de oportunidade para agir está quase fechada”.  O responsável explica também que “a última vez que a Terra teve uma concentração comparável de CO2 foi há 3 ou 5 milhões de anos, quando a temperatura era mais quente 2 a 3ºC e o nível do mar era 10 a 20 metros mais alto do que agora”.