Sociedade

Uma esquadra nova cheia de problemas

O SOL publica na integra a investigação publicada na edição do i desta quinta-feira.

As condições de trabalho para os agentes da esquadra do Campus da Justiça estão longe de ser as melhores. Apesar de estarem instalados num edifício moderno, o espaço fica na garagem do edifício F, onde entram e saem diariamente muitos veículos, não tendo qualquer janela para o exterior. Ao que o i apurou, alguns elementos já apresentaram participações das condições, alegando que se sentem mal depois de dormir uma noite na esquadra. 

Além de questões como a qualidade do ar, os profissionais já se chegaram a deparar com situações em que não dispõem de luvas descartáveis e desinfetantes, fundamentais para as situações em que têm de lidar com detidos  com doenças infetocontagiosas. 

Mas não são estas apenas as reclamações de quem trabalha naquela esquadra, que não dispõe de qualquer viatura, o i sabe que dada a impossibilidade de poderem usar armas carregadas dentro dos tribunais, vários agentes consideram que era necessário passarem a ter equipamento alternativo e formação de utilização de armas taser, de bastões extensíveis e de gás pimenta.