Internacional

Khashoggi. Turquia acusa Trump de fechar os olhos a assassinato

As declarações do ministro turco surgem depois de Trump ter afirmado, esta semana, que a Arábia Saudita iria permanecer um “parceiro firme” dos EUA

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, disse esta sexta-feira que Donald Trump, vai continuar a fechar os olhos ao assassinato de Jamal Khashoggi, independentemente do que os investigadores possam revelar de novo.

As declarações do ministro turco surgem depois de Trump ter afirmado, esta semana, que a Arábia Saudita iria permanecer um “parceiro firme” dos EUA, recusando-se a reconhecer qualquer envolvimento do príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman no assassinato de Khashoggi, colunista do Washington Post.

Criticando a posição de Trump em fazer acordos comerciais com a Arábia Saudita, em vez de defender a justiça, Mevlut Cavusoglu, disse que a vida humana deve ter precedência. “Essa declaração que Trump fez também significa: Não importa o que aconteça, vou fechar os olhos. Essa não é uma abordagem correcta. Nem tudo é dinheiro ”, proferiu à CNN Turk, citada pela Reuters.

Cavusoglu negou ainda que a Turquia tenha recebido da CIA qualquer gravação relacionada com a morte do colunista. Esta explicação surge um dia depois de um jornal turco ter avançado que a CIA tem em sua posse a gravação de uma chamada na qual o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, deu ordens para que Jamal Khashoggi fosse “silenciado o mais rapidamente possível”. De acordo com o jornal as autoridades turcas teriam recebido a prova há cerca de um mês.