Sociedade

Lisboa, Porto e Viseu em marcha este domingo pelo fim da violência contra as mulheres

Em Lisboa e no Porto a marcha começa às 15h00

De forma a exigir o fim da violência contra as mulheres, vai decorrer hoje uma marcha, em várias cidades do país, pelo fim da violência contra as mulheres, e tem como pano de fundo receios de retrocessos nos direitos das mulheres com a ascensão da extrema-direita no mundo.

Em Lisboa e no Porto, a marcha pelas às 15h00. Na cidade do norte, a marcha tem início na Praça dos Poveiros e segue até à Praça da Liberdade. Na capital,  a marcam começa no Largo do Intendente, com passagem pelo Martim Moniz e chegada ao Rossio. Nela vai participar o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, bem como a secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro.

“Hoje estamos mais uma vez na rua para denunciar e lutar pelo fim da violência contra as mulheres. Violência, esta, que é sistémica, que tem por base uma cultura misógina, que está à espreita na rua, está confortável em casa e no trabalho, tem muitas caras, tantas, que às vezes nem as reconhecemos de tão naturalizadas que estão na nossa sociedade. […] Por todo o mundo lutamos nas ruas e de novo neste 25 de novembro, mas sem que isso signifique um ritual repetitivo ou uma conformação face ao que parece inalterável. Basta de violência!”, pode ler-se no manifesto conjunto das marchas de Lisboa e Porto.

“Neste 25 de Novembro, não esquecemos as diferentes formas de violência que atingem as mulheres em todo o mundo. Vemos com apreensão os retrocessos nos direitos alcançados pela luta abnegada de milhares de mulheres em países onde governos de extrema-direita e ultraconservadores estão a ganhar cada vez mais terreno. Denunciamos em Portugal uma tendência preocupante para decisões judiciais retrógradas, moralistas e inadmissíveis, que violam os direitos mais básicos e a Constituição da República Portuguesa”, lê-se no mesmo documento.

Para além de Lisboa, Porto e Viseu, vai decorrer ainda uma ação de sensibilização em Cascais.

Recorde-se que só este ano já morreram em Portugal, vítimas de violência, 24 mulheres – mais seis do que em 2017 -, de acordo com dados do Observatório de Mulheres Assassinadas.