Desporto

Irlanda. Liga faz um minuto de silêncio por um jogador que está vivo

O Ballybrack FC, clube amador da Irlanda, já pediu desculpa por ter anunciado a falsa morte de um dos seus jogadores

 

Um episódio insólito que chega da Irlanda. O Ballybrack FC, clube de futebol amador irlandês, anunciou que um dos seus jogadores, o espanhol Fernando Nuno La-Fuente, tinha perdido a vida num acidente de mota.

A informação chegou na sexta-feira à Leinster Senior League, organismo que rege o campeonato em que milita, que cancelou o encontro da equipa agendado para o passado fim de semana. 

 

Nos restantes encontros daquela prova, foi cumprido um minuto de silêncio em memória do atleta e usadas braçadeiras negras.

O problema surgiu depois, quando começaram a surgir rumores de que o jogador estaria vivo e que teria regressado a Espanha, sua terra natal.

A Liga abriu uma investigação e concluiu isso mesmo: Fernando Nuno La-Fuente estava vivo e havia regressado a casa.

"Vimos os hospitais, vimos em todo o lado. Ninguém conseguiu encontrar nada sobre este jovem. Obviamente, alguns dos seus companheiros de equipa divulgaram coisas nas redes sociais a dizer que ele tinha voltado para Espanha há quatro semanas", contou o presidente da Liga Leinster, David Moran. 

O responsável máximo do organismo anunciou que vai "lidar com o problema através dos próprios procedimentos disciplinares internos".

Da parte do clube surgiu um comunicado, apresentando desculpas e explicando o sucedido. "Este erro grave e inaceitável foi cometido por uma pessoa que passou por graves dificuldades pessoais", escreveu o emblema, garantindo que "a pessoa em questão já foi dispensada de todas as tarefas de futebol no Ballybrack FC".

O clube entrou em contacto com o atleta para confirmar o seu paradeiro e agradeceu ao ex-jogador "que tenha aceite o nosso pedido de desculpas sobre este caso". 

Entretanto, também o próprio futebolista já fez questão de contar como teve conhecimento do caso. Na rádio RTÉ Radio 1, Fernando Nuno La-Fuente explicou que no trabalho os colegas começaram a enviar-lhe notícias a dar conta da sua morte. "No meu trabalho começaram a enviar-me artigos. Foi assim que descobri que estava morto", brincou, explicando que já não joga pelo Ballybrack FC.