Politica

Costa. "Não sacrificámos os portugueses à obsessão do défice"

Primeiro-ministro fala pela primeira vez no debate sobre o Orçamento do Estado para 2019, escolhendo o encerramento da discussão.

O primeiro-ministro, António Costa, encerrou esta quinta-feira o debate sobre o Orçamento do Estado para 2019, a defender que "valeu a pena" chegar ao quarto ao orçamento que resultou dos acordos com o PCP, Bloco de Esquerda e PEV. António Costa teve o cuidado de enumerar, um por um, os partidos que contribuiram para a aprovação de quatro orçamentos, e por inerência, a atual solução governativa.

Em jeito de balanço, o primeiro-ministro lembrou que não aumentou impostos, que se devolveu rendimentos e que as famílias chegam a 2019 com o alívio fiscal de mil milhões de euros. "Valeu a pena", repetiu  por três vezes António Costa, sublinhando que o seu governo alacançou os défices mais baixos da democracia portuguesa. "Não sacrificámos os portugueses à obsessão do défice", defendeu o primeiro-ministro.