Vida

Jovem de apenas 11 anos entrou na Universidade e refuta teorias de Einstein e Stephen Hawking

Aos quatro anos de idade já falava grego, aos nove terminou o secundário e no outono deste ano entrou na Universidade do Sul da Flórida.

Um rapaz de apenas 11 anos entrou, este outono, na Universidade do Sul da Flórida para prosseguir estudos em direção ao doutoramento em astrofísica, coisa que pretende terminar aos 18 anos, já tendo concluído um curso numa universidade norte-ameriana.

Chama-se William Maillis, é do estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, e tem uma capacidade enorme de memória, bem como outra para entender números, diferentes idiomas e outros campos do conhecimento. 

Quando tinha apenas quatro anos já falava grego e absorve toda a informação que ouve e lê.

Mas a história desta criança não fica por aqui. Em julho deste ano já obteve o “associate degree” - grau académico dos EUA - no St. Petersburg College, da Universidade do Sul da Flórida e, numa entrevista à revista “People”, confessou que pretende provar que “Deus existe”.

William refuta as teorias defendidas por Albert Einstein e por Stephen Hawking, no que diz respeito à origem do mundo, e coloca em causa o que ambos os cientistas defenderam sobre os buracos negros.

O jovem diz que existe apenas uma força capaz de criar o universo: Deus. “Eu quero ser um astrofísico para provar ao mundo científico que Deus existe”, disse, citado pelo jornal “USA Today”.

No entanto, apesar de tantas conquistas em tão pouco tempo de vida, o pai do menor garante que este é uma criança como todas as outras, embora seja muito aplicado nos estudos. “Não se notam diferenças entre ele e os outros meninos de 11 anos. O William gosta de desporto, programas de televisão, computadores e jogos de consola, como todos os outros”, explica o pai à mesma publicação.