Sociedade

Rosa Grilo agride guarda prisional que queria tirar-lhe uma carta

Suspeita de homicídio está proibida de ter papel e caneta na cela

A viúva de Luís Grilo, acusada do homicídio do triatleta, terá protagonizado uma cena de violência com uma guarda prisional na cadeia de Tires.

Rosa Grilo pretendia enviar mais um recado à comunicação, e quando uma guarda prisional quis apreender a missiva, a viúva do triatleta agrediu-a, recusando entregar a carta, escreve o Correio da Manhã.

A suspeita de matar o marido ficou assim proibida de ter papel e caneta na sua cela. Diana Fialho, a jovem presa sob suspeita de ter matado a mãe, professora no Montijo, que se tornou amiga de Rosa Grilo na prisão, foi também avisada para que não ajudasse a viúva a escrever e a enviar cartas por ela, sob pena de lhe ser aberto um processo disciplinar na cadeia.

Recorde-se que esta não é a primeira carta que Rosa Grilo vê ser apreendida no estabelecimento prisional, recentemente foi intercetada uma missiva dirigida ao seu alegado amante, acusado de cumplicidade no homicídio de Luís Grilo.

A carta foi, posteriormente, enviada ao Ministério Público, que entendeu tratar-se de uma tentativa de Rosa Grilo acertar a versão dos acontecimentos com António Joaquim, o que constituía uma perturbação ao inquérito.