Sociedade

Borba. PJ investiga explosões nas horas anteriores ao acidente

A Polícia Judiciária está a investigar a hipótese de ter havido detonação de explosivos na pedreira de Borba, horas antes de a estrada ter ruído.

O acidente provocou cinco mortos. As operações de resgate só terminaram esta manhã, quase duas semanas depois do desabamento da estrada.

De acordo com o Expresso, a investigação da PJ baseia-se na denúncia de testemunhas que garantem ter ouvido explosões nas horas anteriores. Uma versão confirmada pelo vereador da Câmara de Borba, Quintino Cordeiro.

O uso de explosivos nas pedreiras é permitido por lei, desde que sejam cumpridas apertadas regras de segurança. Estes materiais são particularmente perigosos nas pedreiras de mármore por poderem causar danos estruturais no maciço.

Ao semanário, o Ministério do Ambiente diz que o último parecer favorável da Direção-Geral de Energia e Geologia para o uso de explosivos, emitido a 1 de março do ano passado, "possibilitava a utilização de 75 quilos de pólvora". As outras explicações possíveis são as chuvas fortes do fim de semana e também o sismo de 2,1 em Arraiolos, registado pelo Instituto do Mar e da Atmosfera no sábado