Internacional

Casal norte-americano é suspeito no caso do missionário morto por tribo

As viagens à ilha são estritamente proibidas pelas autoridades para evitar qualquer contágio da população indígena

Dois americanos estão sob suspeita no caso do missionário que foi morto na ilha de Sentinela do Norte. John Allen Chau, de 26 anos, tentava evangelizar a tribo quando as idas à ilha são estritamente proibidas pelas autoridades indianas.

Há um casal de norte-americanos que está sob suspeita pela polícia local, avança a AFP citando a responsável Dependra Pathak. Esse casal terá viajado para a Índia para apoia Chau a evangelizar a tribo, algo que sabiam ser ilegal. No entanto, os dois suspeitos terão abandonado o país.

As visitas à ilha foram proibidas pelas autoridades indianas para proteger a tribo uma vez que, por não terem a devida imunização, os habitantes da ilha podem correr o risco de apanharem doenças.

No entanto John Chau recebeu formação por parte do All Nationa – grupo evangélico natural do Kansas – e decidiu tentar o contacto com a tribo.

O missionário acabou morto depois de ter sido atingido por uma flecha.