Economia

Combate às más condições de trabalho na construção em discussão

Em cima da mesa vão estar assuntos como a falta condições de trabalho, “dormem e comem em espaços que não são para seres-humanos, isto é, Escravatura Contemporânea”, explicou o sindicato em comunicado, e também os acidentes de trabalho por questões de ordem comunicacional. 

DR  

O Sindicato da Construção de Portugal vai propor uma reunião com os embaixadores de Angola, Moçambique, Bolívia, Brasil, Peru e Índia por forma a preparar o encontro de trabalhadores que vieram trabalhar para Portugal através de redes angariadoras.

Em cima da mesa vão estar assuntos como a falta condições de trabalho, “dormem e comem em espaços que não são para seres-humanos, isto é, Escravatura Contemporânea”, explicou o sindicato em comunicado, e também os acidentes de trabalho por questões de ordem comunicacional. 

O sindicato lembrou que em 2000 alcançou grandes êxitos com este tipo de reunião, na altura com trabalhadores de leste, e que pela primeira vez estrangeiros foram incorporados na direção. 
O sindicato diz ainda concordar com a imigração desde que esta aconteça através de empresas idóneas.

Na passada segunda-feira, ficou conhecido que 400 postos de trabalho da MSF Engenharia estariam em risco e o sindicato alertou para as condições de muitas outras construtoras em risco de desaparecer.