Sociedade

Reclusos da prisão de Custóias recusam regressar às celas

O Estabelecimento Prisional do Porto, mais conhecido por Cadeia de Custóias, em Matosinhos, está neste momento em clima de elevada tensão generalizada depois dos reclusos se terem recusado a almoçar, um "levantamento de rancho", também na gíria prisional.

Ao princípio da tarde, os reclusos recusaram regressar às celas, em protesto pelo impacto negativo que as sucessivas greves de guardas-prisionais estão a causar-lhes e às suas famílias, segundo as primeiras informações no local.

Os reclusos da Cadeia de Custóias, o maior estabelecimento prisional da região do Norte, temem não poder usufruir da habitual festa natalícia, tal como os da Penitenciária de Lisboa, que esta terça-feira provocaram um motim.

Já está de prevenção o Grupo de Intervenção e Segurança Prisional (GISP), cujos elementos, conhecidos por " Ninjas", foram já mobilizados e aguardam reforços, segundo o SOL apurou nas imediações, ao princípio da tarde desta quarta-feira, na freguesia de Custóias, em Matosinhos, tendo sido também solicitada a presença da PSP.

A situação está a causar também intranquilidade entre familiares dos reclusos, receosos ainda de não poder visitar detidos.