Vida

“Espero nunca mais ter de lhe dirigir uma palavra"

"Não poder estar com o R. todos os dias tem sido extremamente doloroso"

DR  

Rosa Grilo garantiu que a sua relação com António Joaquim, também ele suspeito da morte do triatleta Luís Grilo, chegou ao fim.

"Ao António já não tenho nada a dizer. O que posso dizer a uma pessoa que sempre tratei bem e na primeira oportunidade criou desconfianças sobre mim quando sempre o defendi? Espero nunca mais ter de lhe dirigir uma palavra", contou a viúva do triatleta em entrevista à TV Mais, 

Além disso, a suspeita da morte de Luís Grilo disse ainda que este Natal, que vai passar no Estabelecimento Prisional de Tires onde se encontra detida, vai ser “o mais triste da sua vida”: "Não poder estar com o R. todos os dias tem sido extremamente doloroso, mas nesta época é particularmente difícil", admitiu.

O seu desejo para 2019 é, de acordo com Rosa Grilo, apenas um: sair da prisão. "Desejo muito que consigam resolver, verdadeiramente, quem foram os responsáveis pela morte do Luís, sair daqui para junto do meu filho e da minha família", acrescentando que deseja “para o António o mesmo, ou seja, que vá rapidamente para junto dos seus filhos", terminou a viúva.

Recorde-se que António Joaquim e Rosa Grilo se encontram em prisão preventiva, por serem ambos suspeitos do homicídio de Luís Miguel Grilo. Segundo a versão de Rosa Grilo, o marido terá sido morto por “dois angolanos e um branco” por causa de “diamantes”.