Sociedade

Explosão em residência de estudantes em Peniche faz vários feridos

Segundo o CDOS, a explosão teve origem numa "fuga de gás em conduta"

Uma explosão de gás numa residência de estudantes em Peniche fez seis feridos, quatro em estado grave.

Inicialmente pensava-se que havia quatro feridos, todos eles trabalhadores de uma empresa que estaria a mudar uma caldeira de gasóleo para gás natural, no interior da residência, quando se deu a explosão. 

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria, citado pela Lusa, uma “fuga de gás em conduta” está na origem da explosão. Segundo o vice-presidente da câmara de Peniche, Mark Ministro, a explosão aconteceu "quando estavam a ser efetuados trabalhos na conduta de uma residência estudantil e causou ferimentos graves em quatro trabalhadores e ferimentos ligeiros em outros dois".

O edifício "não sofreu quaisquer danos estruturais" e a explosão "não representou qualquer perigo para a comunidade estudantil", disse o governante à agência Lusa.

O alerta foi dado às 12h45 e foram destacados para o local dois helicópteros do INEM, 13 veículos e 34 operacionais, das corporações de Peniche, Calda da Rainha e Torres Vedras. A avenida Paulo VI, onde se localiza a residência, continua fechada.