Politica

Atentado. Eurodeputados e funcionários ficaram retidos até às 2 da manhã

Eurodeputada Ana Gomes atravessou centro da cidade de Estrasburgo às 3 da manhã, rumo ao hotel.

Eurodeputados e funcionários do Parlamento Europeu ficaram retidos horas a fio, após o atentado junto ao mercado de Natal, em Estrasburgo. O primeiro sinal de que poderiam sair surgiu por e-mail por volta das 02h00 desta quarta-feira. As ordens eram claras:havia luz verde para evacuar o edifício, mas sob fortes medidas de segurança.

Os eurodeputados juntaram-se no Hemiciclo para ouvirem as regras de segurança, apurou o i. A ordem eram levar os membros do Parlamento Europeu em carrinhas escoltadas pelas autoridades francesas para o centro da cidade.  A eurodeputada socialista Ana Gomes relatou na rede social twitter a sua chegada ao centro de Estrasburgo, onde era visível um forte dispositivo de  segurança. "Escolta polícia e carrinhas do PE largam 6 deputadas e 1 jornalista junto ao Palácio de Justiça às 3 horas da manhã. A partir daí foi preciso atravessar centro cidade Estrasburgo deserto", afirmou Ana Gomes.

Pelas quatro da manhã, a eurodeputada relatou que estava  no Quais des Bâteliers, "com [a] Catedral atrás, atravessando Estrasburgo deserto". A polícia estava" junto à Catedral, na Place Gutenberg e perto da Ancienne Douane".


Nas horas em que estiveram retidos no Parlamento Europeu, os eurodeputados portugueses foram acompanhando o evoluir da situação pelas redes sociais e comunicação social. As cantinas e bares mantiveram-se abertos dentro do edifício que fica fora do centro dos acontecimentos de terça-feira.