Sociedade

Projetos dos metros de Lisboa e do Porto aprovados pelo governo

Na Invicta a obra passa pela extensão da Linha Amarela e a criação da Linha Rosa, enquanto na capital as obras irão dar origem à linha circular, com criação de duas novas estações

Os projetos de expansão do Metro de Lisboa e do Metro do Porto foram esta quinta-feira aprovados pelo Conselho de Ministros.

No caso da Invicta, o projeto inclui a construção de uma nova linha e a expansão de outra. A nova linha – Linha Rosa – irá ligar a Casa da Música a São Bento com quatro estações subterrâneas (Galiza, Hospital de Santo António, para além das estações terminais), num total de 2,8 quilómetros, explica o governo em comunicado.

Para além disso, na linha Amarela, será acrescentado um troço entre Santo Ovídeo e Vila d’Este, com três novas estações: Manuel Leão, Hospital Santos Silva e Vila d’Este. Está também incluído no projeto a construção de um Parque de Material e Oficina que será sediado em Vila d’Este.

Já em Lisboa, o projeto que foi esta quinta-feira aprovado consiste na criação de duas novas estações, uma na Estrela e outra em Santos, juntando as linhas Amarela e a Verde numa ligação circular. Está também prevista a remodelação das instalações do Cais do Sodré e uma intervenção nos viadutos do Campo Grande.

No total, as obras do Metro de Lisboa deverão custar cerca de 210 milhões de euros e será financiado por fundos comunitários. As obras estão previstas ter início no primeiro semestre de 2019 e término em 2023. Já as obras do Metro do Porto – que estão previstas decorrer no mesmo período – terão um custo superior a 307 milhões de euros, dos quais 107 milhões serão provenientes de fundos comunitários.