Internacional

Estrasburgo. Atirador terá sido abatido pelas autoridades

Suspeito terá sido morto no bairro de Neudorf. 

A polícia francesa terá matado ontem à noite o suspeito do ataque contra um mercado de Natal em Estrasburgo, depois de uma troca de tiros, de acordo com fontes da investigação citadas pela imprensa francesa. Chérif Chekatt terá sido encontrado escondido no número 74 da rua do Lazaret, no bairro de Neudorf, próximo do centro da cidade francesa, onde a polícia tinha montado uma grande operação policial. “Ele disparou contra uma equipa da polícia da segurança pública que ripostaram”, adiantou uma fonte policial à Europe 1. 

O homem de 29 anos, que se tinha posto em fuga logo a seguir ao ataque a tiro contra um mercado de Natal, matando três pessoas e ferindo outras 12, tinha escapado à perseguição policial na terça-feira no mesmo bairro, onde desde então as autoridades têm movido uma intensa caça ao homem. Depois do atentado Chérif Chekatt tinha entrado num táxi que o conduziu até à rua de Epinal, no bairro de Neudorf.

Durante a tarde, o grande aparato policial e as buscas intensas no bairro tinham redundado em nada, levando mesmo a que as barreiras policias que impediam a entrada e saída de Neudorf tivessem sido levantadas pela polícia. No entanto, ao final da tarde uma mulher terá sido abordada pelo suspeito e reparado que estava ferido, tendo informado a polícia. A troca de tiros aconteceu por volta das 21h (menos uma hora em Portugal continental).

Uma fonte do Ministério Público de Paris referiu ao “Le Monde” que tudo indicava que o suspeito morto pela polícia era mesmo o autor do ataque do mercado de Natal: um indivíduo “que pode ser Cherif C. foi neutralizado pelos serviços da polícia”. Rémy Hetz, procurador de Paris está no centro de operações da polícia em Neudorf. Tal como o ministro do Interior. Christophe Castaner.

Até ao fecho desta edição, a identidade do suspeito abatido pela polícia não estava completamente confirmada, embora tudo indicasse que se tratava mesmo de Chekatt, mas precisavam de confirmar a sua identidade de forma perentória antes de divulgarem a informação publicamente.

Mais de 700 polícias e militares, auxiliados por dois helicópteros, participaram na caça ao homem que se desenrolava há quase 48 horas, desde o ataque ao mercado de Natal perto do centro histórico da cidade francesa que fica a sete quilómetros da Alemanha. Tanto a polícia alemã, como a suíça, participaram também nas buscas, porque se suspeitava que pudesse ter cruzado a fronteira para fugir às autoridades.

Ontem, a polícia tinha detido mais uma pessoa próxima de Chekatt, aumentando para cinco as que mantém sob custódia, depois de a mãe, o pai e dois irmãos do suspeito. Ao mesmo tempo, haviam sido efetuadas buscas na casa da irmã e do cunhado em Paris, pensando as autoridades que Chekatt, por estar ferido, pudesse pedir ajuda ao cunhado que é médico.