Cultura

Nancy Wilson. E todo o jazz que trazia na voz

Nascida em 1937, Nancy Wilson morreu aos 81 anos em casa

Vencedora de três Grammy, Nancy Wilson não ficou refém do tempo. Conquistou o primeiro galardão em 1965 na categoria de R&B com a canção ‘How Glad I Am’ mas os outros dois já seriam neste século: em 2005 e 2007 na categoria de Jazz. 

Nancy Wilson morreu aos 81 anos em casa, na Califórnia, vítima de doença prolongada. «Era uma daquelas vozes raras capazes de se adaptarem a qualquer registo», comentou Devra Hall Levy, a manager de longa data da cantora. «[Cantava] jazz, blues, pop e até funk. Fez de tudo», recordou à Reuters. 

Uma boa canção, bem escrita, com uma boa letra era o Santo Graal de Nancy Wilson. Em 1959, grava o primeiro álbum Like In Love, já em Nova Iorque, depois de ter pertencido à banda do saxofonista Cannonbal Aderley. durante a década de 60 foi uma presença habitual na tabela americana de vendas, notabilizando-se sobretudo pelas baladas, inspirada por Nat King Cole. O impacto vocal valeu-lhe comparações recorrentes com uma das vozes maiores do jazz: Ella Fitzgerald.

Não só na música foi premiada. Ganhou um Emmy pelo The Nancy Wilson Show, vista por milhões de americanos entre 1974 e 1975 na NBC. Participou ainda no Cosby Show e em séries como The F.B.I. e Hawai 5-0 . Em 2014 recebeu o prémio de carreira Jazz Masters Fellowship.