Sociedade

Natal. As causas para abraçar agora e todo o ano

Para muitos o Natal é sinónimo de tradição e felicidade, mas para outros é uma noite como qualquer outra. À boleia da abertura de espírito da época, deixamos um conjunto de causas para abraçar que, para lá da noite, podem efetivamente ajudar a mudar a vida de todos os dias de quem está do outro lado.

 

Natal. As causas para abraçar agora e todo o ano

Venda de Natal 2018
(Alzheimer Portugal)

Quando pensar no sítio em que vai fazer as suas compras de Natal, não se esqueça que poderá aliar este programa a uma causa de solidariedade - e a Venda de Natal 2018, no Mercado de Alvalade, é uma das opções. Organizada pela Alzheimer Portugal tem como objetivo ajudar o programa Apoio na Incontinência. 

Os materiais para a incontinência serão comprados e distribuídos consoante o dinheiro angariado. Nesta venda pode encontrar ofertas variadas como explicou Marisa Mendes, assistente social na Alzheimer Portugal, ao b,i. «A venda funciona por donativos. A oferta é diversa e vai desde produtos de artesanato a livros relacionados com a doença, a vestuário e loiças», contou. 

Esta ajuda está apenas disponível para os associados que terão de enviar uma candidatura com os documentos necessários. «A prioridade serão sempre as pessoas com mais dificuldades económicas», referiu Marisa Mendes. A venda está aberta ao público de terça a sexta, entre as 9h e as 15h, e no sábado até às 16h, até 31 de dezembro. A expectativa da organização é elevada, até porque esta é já uma tradição de Natal desta associação que tem crescido de ano para ano, tornando-se cada vez maior e com capacidade para ajudar cada vez mais associados.

Caso não consiga estar presente, pode contribuir através de um donativo, no mínimo de cinco euros, e recebe em troca um postal como símbolo desse gesto. 

Crianças como o Marcelino
(UNICEF)

A subnutrição é uma realidade que se regista há décadas na África Subsariana e nos dias de hoje está já a chegar a números idênticos aos registados no passado: cerca de 236 milhões de pessoas sofrem de privação crónica de alimentos neste território. No mês de Natal, a UNICEF tem como objetivo chamar a atenção para este flagelo e angariar fundos para tratar um problema que afeta cada vez mais famílias e que pode ser resolvido com pouco mais de 20 euros por criança. «Tratar uma criança gravemente subnutrida durante 3 semanas, ou seja, um tratamento completo com alimento terapêutico pronto a usar, custa apenas 22,92€», explicou a Diretora Executiva da UNICEF Portugal, Isabel Imperatori, durante a apresentação da campanha

«Crianças como o Marcelino», que conta a história de um menino que, graças à ajuda da UNICEF, conseguiu ter acesso a alimentos terapêuticos quando corria risco de vida - e voltou para casa junto da mãe. No vídeo, narrado por Diogo Infante, que pode ser visto na televisão ou na página da campanha, os interessados em ajudar contam com um número de telefone de valor acrescentado para o qual devem ligar caso queiram contribuir: 760 100 216.

Pode também optar por fazer uma doação online. No site ‘marcelino.unicef.pt’, escolhe qual o donativo que quer fazer e saberá, de imediato, quantas crianças está a ajudar. Por exemplo, com um donativo até 65 euros irá ajudar cerca de 34 crianças.  

É mais um presente. É um futuro
(Girls Move Academy)


Neste Natal vai poder oferecer algo que não vem embrulhado em papel e laço, mas que tem um valor incalculável. O programa BELIEVE da Girl MOVE Academy aposta em raparigas, entre os 12 e os 15 anos, a frequentar o último ano do Ensino Básico, que vivem em bairros urbanos e periurbanos de Nampula, norte de Moçambique. Neste Natal, a organização lançou uma campanha que «tem como objetivo ajudar a garantir a continuidade escolar das meninas e alertar para as necessidades em Moçambique», explicou ao b,i. Beatriz Dias, responsável pela comunicação da organização.

A Girls Move Academy criou quatro cartões, cada um deles com objetivos diferentes. Por cinco euros, pode optar por ajudar uma Mwasuri - nome dado às raparigas apoiadas pela academia - a aprender a reconhecer o seu valor, o seus talentos e os seus direitos; apoiá-la a aprender a poupar e a ter um plano de vida ou contribuir para que uma Mwasuri aprenda a ser mais saudável e a proteger-se dos riscos que a rodeiam. Por último, com um custo de 25 euros, pode ajudar uma destas meninas a ter acesso a educação durante um ano para que assim reconheça quais as oportunidades que tem pela frente. Beatriz Dias afirma que a compra destes cartões é mais do que um presente: «Ajuda a realizar o sonho de contribuir para um mundo onde todas as raparigas têm acesso a oportunidades para se tornarem agentes ativas da sua sociedade e líderes de referência da sua comunidade e país. Um mundo em que o ser rapariga ou mulher não priva o direito à educação e à participação ativa na sociedade».

8.ª Missão Natal AMI
(AMI)

Nem todas as pessoas têm a sorte de festejar esta quadra como gostariam, mas a AMI tenta que, todos os anos, quem se encontra em situações de pobreza e exclusão social possa vivê-la da forma mais digna e feliz possível. Depois de, em 2017, ter apoiado mais de dez mil famílias em Portugal e mais de 600 pessoas com mais de 65 anos, este ano são várias as hipóteses pelas quais pode optar para ajudar esta organização durante o mês de dezembro.

É no site ami.org.pt que pode encontrar todas estas opções. Com apenas 20 euros, consegue oferecer a uma das mais de duas mil famílias beneficiárias da AMI um «Cabaz de Natal AMI» que conta com «elementos simbólicos de Natal, como o bacalhau e os doces» explicou ao b,i., Isabel Pinheiro, Relações Públicas da AMI, adiantando que o «fundamental é que metade do valor pago por este cabaz é transferido para apoio social para ajudar nos centros de dia da Porta Amiga». Além do cabaz, pode também «Oferecer miminhos de Natal a Idosos e Crianças»: custam 10 euros e garantem a uma criança um brinquedo e cinco lanches ou um kit de higiene e cinco lanches a um idoso. 

Nesta 8.ª Missão de Natal, a AMI espera ajudar mais famílias, mas Isabel Pinheiro diz que a ajuda das empresas tem sido crucial para a ação da AMI em Portugal e que é muito difícil conseguir a ajuda da sociedade civil. «Não sentimos o envolvimento da sociedade nestas causas».

Ofereça um presente salva-vidas
(Cruz Vermelha Portuguesa)

Salvar a sua vida e a dos que o rodeiam é a sugestão da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) que lançou o «Kit de Primeiros Socorros - Uma Mala Salva-vidas», uma campanha de sensibilização para a prevenção de doenças cardiovasculares e morte súbita. Além dos conhecidos elementos presentes numa mala de primeiros socorros e de uma máscara facial para respiração de boca-a-boca, a CVP oferece ainda 50% de desconto num curso de socorrismo, um rastreio cardiovascular e a primeira anuidade de Cartão de Saúde, a ser usado no Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa. 

«Nesta fase-piloto, estes kits estão apenas à venda em 50 farmácias da Grande Lisboa», explicou ao b,i. Joana Pinheiro, responsável pela comunicação da CVP. Os kits foram desenvolvido em parceria com a ANF (Associação Nacional das Farmácias) e com o apoio da empresa SANOFI. Custam  22 euros que revertem a favor da atividade humanitária da CVP.  «Com esta campanha queremos apelar não só a um questão social importante como à prevenção do que pode acontecer ao outro e a cada um de nós», realçou Joana Pinheiro. «É um presente que salva vidas», concluiu. 

A começar como uma campanha de Natal, a Cruz Vermelha Portuguesa têm como intenção espalhar estes kits pelo resto do país no próximo ano. 

Postais de Natal 2018
(Aldeia das Crianças SOS)

Diz-se que o Natal é para as crianças, mas nem todas o passam como gostariam. É a pensar nelas que a Aldeia de Crianças SOS lançou quatro postais de Natal «desenhados pelas crianças e jovens», contou Filipa Morais, diretora de Marketing e Fundraising da Aldeia de Crianças SOS. «Há muitos anos que os fazemos e acreditamos que é importante manter esta iniciativa porque os postais digitais não substituem os físicos. É e será sempre diferente receber um postal escrito à mão».

Por um euro, cada pessoa poderá escolher qual o postal de que mais gosta e saber um pouco mais sobre quem o desenhou. 

Além desta campanha, a organização vai aproveitar a altura do Natal para lançar uma outra que tem como mote «Mais do que uma casa, damos uma família. E você dá o que quiser». O objetivo passa por sensibilizar a sociedade para o trabalho da Aldeia de Crianças SOS perto das famílias. «Pretende relembrar a importância do apoio de todos nós e o impacto que tem a nossa ajuda para assegurar que todas as crianças possam continuar a ter uma família e uma infância cheia de boas recordações», explicou Filipa Morais. «Com esta campanha esperamos que as pessoas se movam para nos ajudar, mas acima de tudo que percebam o importante impacto que o seu donativo pode ter na vida das crianças e jovens em risco que acolhemos e acompanhamos em Portugal», concluiu.

No Facebook encontra muitas outras formas de ajudar

Natal dos esquecidos
(CASA)

Já pensou em ser o Pai Natal de alguém? Este ano é possível e o remetente nem terá de enviar a famosa cartinha ao velhinho de barbas. O projeto de cariz social do Centro de Apoio ao Sem-abrigo - CASA distribui todos os dias refeições a sem-abrigo e foi durante algumas dessas entregas que os voluntários perguntaram a mais de 50 pessoas o que «queriam para o Natal, porquê e um bocadinho da sua história», explicou Cátia Matias, um das responsáveis pelo projeto Natal dos Esquecidos. As crianças e adultos que fizeram estes pedidos não tiveram de esperar muito até que os seus desejos começassem a fazer parte das prendas debaixo da árvore de alguma família. Para encontrar estas cartas basta ir até à página de Facebook da campanha Natal dos Esquecidos, e ler os desejos de quem mais precisa. Caso consiga mudar o Natal de alguém, poderá adotar alguma destas cartas através de um e-mail para nataldosesquecidos@gmail.com e indicar o número do desejo que pretende realizar.

Embora ainda faltem duas semanas para o Natal, algumas prendas começaram já a ser entregues porque, como conta Cátia Matias, «é impossível entregar tudo na noite de Natal, até porque queremos que sejam os voluntários que falaram com as pessoas e os ajudaram a fazer esta carta a entregar estes presentes». Para que as pessoas que ofereceram estes presentes saibam que fizeram sorrir, o Natal dos Esquecidos faz questão de enviar sempre «uma fotografia ou um vídeo como forma de agradecer o empenho e ajuda». A organização afirma que a adesão tem sido fantástica, uma vez que as cartas estão já todas adotadas, mas confessa que há mais quatro ou cinco cartas por ‘abrir’.

Campanha Natal 2018
(From Kibera With Love)

Este ano vai poder escrever bonitas mensagens de Natal a quem mais gosta e juntá-los aos sonhos de algumas crianças que, embora privadas das melhores condições de educação, desejam ter um futuro brilhante. O projeto From Kibera With Love, que apoia crianças na Kibera, a maior favela do mundo, no Quénia, conta com seis postais escritos e desenhados por seis crianças diferentes com idades entre os oito e os onze anos. O projeto que tem como missão garantir a educação destas crianças nasceu em 2012, depois de Marta Baeta ter feito voluntariado no Quénia durante três meses. Todos os postais estão na página de Facebook oficial do projeto. A parte da frente conta com uma fotografia da Maggy, do Félix, da Valary, da Nicole, do Kevin ou da Annouvelle, com a descrição do que querem ser quando forem grandes. Já na parte de trás terá direito a um desenho que ilustra esse mesmo sonho. Cada postal tem o custo de 2,50 euros, enquanto um pacote de 10, criado por si, fica por 10 euros. Para encomendar basta enviar um e-mail para fromkiberawithlove@gmail.com com o assunto ‘Postais de Natal’. As entregas são feitas em mão em alguns locais do país, incluindo no Funchal, ou enviadas pelo correio CTT com o acréscimo dos portes de envio. Para ajudar pode ainda enviar donativos para esta organização ou contribuir para os cabazes de Natal entregues às famílias. Se quiser ir mais longe e criar um vínculo que vai para lá da época, também há crianças que pode apadrinhar através do projeto mediante o pagamento do valor necessário para assegurar os estudos das mesmas durante um ano. É ir à página e ver - está lá tudo explicado.

Angariação de fundos e donativos
(Facebook)

E se, em vez de dar prendas, fizesse um donativo para uma qualquer organização sem fins lucrativos? E se, além de partilhar uma música de Natal ou uma fotografia da decoração natalícia, criasse uma angariação de fundos para apoiar uma causa? A ferramenta do Facebook que já tem um ano em Portugal e é usada, maioritariamente, em aniversários, está a ganhar cada vez mais força. Nesta época especial, cada utilizador poderá criar uma angariação de fundos para apoiar qualquer uma das instituições à escolha no Facebook. Terá apenas de definir um limite de valor doado, apontar uma data final e partilhá-la na página pessoal. De 15 em 15 dias, a rede social transfere o dinheiro angariado para a organização, livre de impostos. Depois dentro do leque de instituições disponíveis pode selecionar qual a causa que quer apoiar. Caso prefira apenas ajudar monetariamente, opte por procurar pelas páginas das instituições e fazer um donativo numa qualquer angariação de fundos - ou ajude nas angariações partilhadas pelos seus amigos. 

Além de instituições, pode também apoiar uma causa específica criada por um utilizador ou elaborar uma angariação de fundos para ajudar alguém que necessite de recursos. Caso não queira criar ou ajudar em nenhuma destas opções pode fazer um donativo particular no botão «fazer donativo». 

Estas angariações são já uma importante fonte para muitas instituições nacionais e internacionais que, para poder ser ‘contempladas’, são sujeitas a um elevado grau de escrutínio aquando da sua candidatura.

Os comentários estão desactivados.