Sociedade

Cotonetes vão ser banidos da União Europeia

Produtos proibidos representam 70% dos detritos que poluem oceanos e praias

O Conselho de Ministros do Ambiente da UE salientou ontem em comunicado que “o lixo marítimo é um problema global cada vez maior”. E anunciou ainda que, até 2021 quer proibir a utilização de produtos que poluam os oceanos e praias, como cotonetes, palhinhas ou talheres de plástico. Em causa está a redução da poluição marítima uma vez que os plásticos de utilização única representa 70% dos detritos poluentes. No mesmo comunicado, o conselho avisa que, se nada for feito, até 2050 haverá mais plástico do que peixes no mar.

“Se for medido em peso, em 2050, haverá mais plástico do que peixes nos oceanos, se continuarmos a mandar plástico no mar a este ritmo. Não podemos deixar que isso aconteça”, advertiu Elisabeth Köstinger, ministra austríaca de Desenvolvimento Sustentável.

Este acordo necessita ainda de ser formalmente ratificado pelos Estados-Unidos e pelo Parlamento Europeu. Prevê-se que o processo esteja concluído até à primavera de 2019 e entrará em vigor em 2021. 

Com esta nova medida, os países da União Europeia comprometem-se a garantir a recolha e reciclagem de pelo menos 90% das garrafas de plástico até 2025.

Em outubro, o Parlamento Europeu aprovou a proposta de Bruxelas que prevê medidas por parte dos Estados-Membros por forma a reduzir em 25% de outros produtos de plástico até 2025. Nesta incluem-se caixas para hambúrgueres, sandes e saladas, assim como recipientes para frutos, legumes, sobremesas e gelados. 

No mesmo mês, a administração pública proibiu a utilização de, por exemplo, copos para café, água ou outras bebidas, pratos e taças, talheres, palhinhas e palhetas de plástico, garrafas descartável, depois desta medida ter sido publicado em Diário da República. 

Em Portugal, um inquérito à utilização de materiais descartáveis plásticos no âmbito de uma campanha da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), denominada “Menos Plástico Mais Ambiente”, divulgado em novembro, mostrou que as palhinhas são o material mais usado no setor da restauração e bebidas (52,5%) e logo de seguida aparecem os copos, com 28,2%. No entanto, 93% das empresas afirmaram reciclar as embalagens. 

Um pouco por todo o país, 489 empresas de restauração e bebidas e de alojamento turístico, dividindo-se entre restaurantes, pastelarias, cafés, bares, take-away e alojamento.