Sociedade

FNE pede intervenção da Provedoria de Justiça para que "o processo de reposicionamento em curso seja justo"

Segundo a FNE, os professores que entraram na carreira antes de 2011 estão a ser ultrapassados pelos professores que ingressaram na carreira entre 2011 e 2017

A Federação Nacional de Educação (FNE) entregou um documento na Provedoria de Justiça a pedir a sua intervenção, de maneira a garantir que "o processo de reposicionamento em curso seja justo".

Segundo a FNE, os professores que entraram na carreira antes de 2011 estão a ser ultrapassados pelos professores que ingressaram na carreira entre 2011 e 2017.

"Estando finalmente em curso o processo de reposicionamento dos docentes que estiveram indevidamente retidos no 1º escalão, se considera inaceitável que por efeitos deste processo se promovam distorções inaceitáveis, porque injustos na determinação dos novos posicionamentos", afirma a FNE em comunicado publicado no seu site oficial.

"Sem pôr em causa o direito ao justo posicionamento dos docentes que estiveram retidos, não pode haver por essa via uma distorção dos posicionamentos relativos de todos os docentes", continua a mesma nota.

A estrutra sindical refere ainda que já tinha alertado para "a necessidade de se preservar um justo posicionamento de todos estes docentes, evitando-se ultrapassagens que provocassem inaceitáveis injustiças".

Assim, a FNE espera que a Provedoria da Justiça intervenha no sentido de alertar o Ministério da Educação "para a obrigação de garantir que o presente processo de reposicionamento seja justo, evitando as ultrapassagens que põem em causa as posições relativas dos docentes portugueses".