Internacional

Mulher que esfaqueou três homens que violavam a filha vê feita justiça

“Estou contente e aliviada com a decisão. Tudo o que queria era defender a minha filha"

Esta mulher que ficou conhecida em 2017 como “mãe leoa”, vê agora ser feita justiça depois de dois dos três homens que violaram a sua filha serem condenados a 30 anos de prisão, na África do Sul.

Em setembro do ano passado, esta mãe sul-africana, de 57 anos, estava em casa nos arredores de Zwartwater quando uma amiga lhe ligou a avisar que tinha visto três homens a levarem a filha, de 27 anos, para uma casa abandonada.

Depois da falta de respostas da polícia, a mulher saiu de casa com uma faca de cozinha na mão e correu até ao local onde os homens haviam sido vistos.

Ao chegar ao local, bastaram os gritos por socorro da filha para esta mãe agir. Depois de entrar na casa e ver os três homens a violar a rapariga à vez, a “mãe leoa” matou um dos homens e feriu dois com gravidade.

O ato valeu-lhe a acusação de um crime de homicídio e dois de homicídio na forma tentada. A discordância e indignação dos sul-africanos levou a que fossem reunidos 10 mil euros para a defesa da mulher e um advogado chegou mesmo a oferecer-se, sem qualquer custo, para a representar. Contudo, a justiça sul-africana retirou as acusações.

Agora, os violadores que sobreviveram foram condenados a 30 anos de prisão. De acordo com o juiz, a condenação de prisão perpétua foi abandonada por considerar que o ataque da progenitora lhes serviu de lição.

“Estou contente e aliviada com a decisão. Tudo o que queria era defender a minha filha", disse a mulher, citada pelo canal "News 24".