Desporto

Inter obrigado a fazer dois jogos à porta fechada por causa de episódio de violência

Em causa estão os confrontos de quarta-feira e os cânticos racistas contra Koulibaly

O Inter de Milão foi condenado a disputar dois jogos à porta fechada. A decisão foi tomada por Gerardo Mastrandrea, responsável pela secção disciplinar da Serie A por causa dos confrontos de quarta-feira à noite.

Antes do jogo com o Nápoles, os adeptos envolveram-se em confrontos que culminaram com a morte de um deles. O jogo ficou ainda marcado pelos “cânticos insultuosos” contra Kalidou Koulibaly, o jogador senegalês do Nápoles. Várias personalidades do futebol já condenaram os insultos racistas dos adeptos, incluindo Cristiano Ronaldo.

Para além dos dois encontros à porta fechada, o Inter terá de realizar ainda um encontro com o setor das claques fechado.

Também os jogadores Koulibaly e Lorenzon Insigne, ambos do Nápoles, vão cumprir dois jogos de suspensão por terem levado cartão vermelho durante o jogo. Koulibaly juntou dois cartões amarelos – um por falta dura e outro por contestar a arbitragem – e Insigne foi expulso por palavras dirigidas ao árbitro.