Economia

Gira. Bicicletas partilhadas de Lisboa ultrapassam um milhão de viagens

A EMEL revelou ainda que vai manter a “oferta de 45 minutos de viagem” para os utilizadores que adquiram passes anuais ou mensais.

As bicicletas partilhadas da rede Gira já contabilizaram mais de um milhão de viagens e há atualmente mais de 19 mil “passes anuais ativos”. Os números foram avançados pela EMEL. 

A Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa revelou ainda que vai manter a “oferta de 45 minutos de viagem” para os utilizadores que adquiram passes anuais ou mensais.

O passe anual custa 25 euros por ano e é “válido por 365 dias contados a partir do dia da subscrição do serviço”, mas apenas pode ser adquirido pelos residentes em Portugal.

A Gira oferece também a opção de um passe mensal, que tem um custo de 15 euros e validade de 30 dias. Também este serviço só está acessível a residentes em território nacional.

Já o passe diário custa dois euros e é válido por 24 horas, mas pode ser utilizado por residentes em Portugal ou no estrangeiro.

A Gira - Bicicletas de Lisboa entrou em funcionamento em setembro de 2017, tendo havido um período de testes anteriormente, que começou em junho.

Num balanço feito à agência Lusa no final de outubro, a EMEL dava conta de que estavam disponíveis 400 bicicletas e 74 estações nas zonas do Parque das Nações, Alvalade, Campo Grande, Avenidas Novas, Marquês de Pombal, Avenida da Liberdade, Telheiras, Areeiro, Baixa e frente ribeirinha.

Apresar de o último alargamento da rede de bicicletas Gira ter sido em junho, “a intenção da EMEL é fazer tudo o que está ao seu alcance para avançar com o plano previsto de instalação das Gira, com a maior brevidade”, indicou a empresa na altura.

“Estão também planeadas novas instalações na cidade, que representam na sua maioria um aumento de densidade das áreas já servidas, mas também o prolongamento da rede de estações desde Santa Apolónia até ao limite poente do concelho, em Algés”, acrescentou a EMEL em outubro.