Sociedade

“Estão a impedir que o meu filho seja o 'Bebé do Ano'"

Instalada polémica no que diz respeito ao nascimento do primeiro ‘Bebé do Ano’

A mãe do suposto primeiro ‘Bebé do Ano’, Laurinda Costa, mãe de Kenzo, que nasceu à meia-noite do dia 1 de janeiro de 2019 na Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, diz estar indignada com o facto de o cartão de identificação do filho ter sido rasurado, ou seja, a hora foi alterada e em vez de o bebé ter nascido às 00h00, nasceu às 00h01. 

"Onde estava 00h00m alteraram e colocaram 00h01m. Estão a impedir que o meu filho seja o Bebé do Ano", disse a mãe do bebé ao Correio da Manhã, acrescentando que "no parto estariam na sala 12 pessoas que fizeram uma festa porque tinha nascido o Bebé do Ano. Alguém decidiu alterar a hora".

A Maternidade Alfredo da Costa também garante ao CM que "a hora de nascimento que figura nos registos da maternidade é 00h00m" e afirmou que não sabe explicar por que razão terá alguém alterado a hora do nascimento no cartão.

Já o presidente do Observatório Astronómico de Lisboa – entidade que dita a hora legal -, Rui Agostinho, ao CM disse que na ausência de segundos no que diz respeito à determinação da hora, "00h00 estende-se até às 00h00m59s" e, portanto, cabe a esta entidade emitir pareceres acerca de pedidos de disputa.

Num outro hospital, no Hospital de São Francisco Xavier, nasceu uma outra bebé, dez segundos depois da meia-noite, chamada Rita Fonseca.