Internacional

‘Hackers’ roubam dados de políticos

O ataque atingiu centenas de políticos alemães, incluindo a chanceler Angela Merkel. De todos os partidos, só o AFD, de extrema-direita, escapou aos piratas informáticos.

Centenas de políticos, jornalistas e figuras públicas alemãs foram alvos de hackers, que lhes divulgaram os dados pessoais no Twitter, numa das maiores fugas de informação da história do país. A informação incluí números de telemóvel, dados de cartões de crédito, conversas privadas e documentos de identidade. Todos os níveis de governação alemã foram afetados, desde eurodeputados, até aos parlamentares regionais e nacionais, passando pela própria chanceler, Angela Merkel. 

«O Governo está lidar com este assunto de uma forma muito séria», afirmou a porta-voz do Executivo. Martina Fietz referiu que a análise preliminar indica que «não havia informação sensível» entre os dados divulgados da chanceler.
O ministro do Interior, Horst Seehofer, considerou que «estes dados podem ter sido obtidos através da má utilização de serviços da cloud, contas de email, ou redes sociais». Acrescentando que, «por agora, nada indica que o sistema informático do Parlamento e do Governo tenha sido afetado». As Forças Armadas não sofreram nenhuma fuga de informação.

Todas as forças políticas alemãs com representação parlamentar foram alvo de roubo de informação, à excepção do partido de extrema-direita AFD (Alternativa para a Alemanha). Juntamente com o facto de só jornalistas e ativistas com tendências de esquerda terem sido afetados, levantaram-se suspeitas que o ataque informático tenha partido de simpatizantes da extrema-direita. «Temos de perguntar de onde é que estes dados todos vêm» sugeriu Michael Götschenberg, repórter da ARD, dos primeiros a noticiar a fuga de informações.
A primeira pessoa cuja informação foi divulgada foi Jan Böhmermann, que procurou há uns meses organizar um grupo de oposição ao Reconquista Germanica, movimento de extrema-direita conhecido por espalhar desinformação e assediar os seus opositores. Para além dos dados pessoais de  Böhmermann, foram divulgadas fotos dos seus filhos, com a legenda «coisas giras com que se podem divertir» 

«[Os] responsáveis querem intimidar os políticos» afirmou o secretário geral do SPD,  Lars Klingbeil, acrescentando que «não serão bem sucedidos».

A informação roubada foi divulgada na conta de um utilizador que dá pelo nome de G0d, com mais de 18 mil seguidores, que descreve a sua atividade como «pesquisa de segurança» e «sátira e ironia». Entre os seguidores da conta está o site  anonymousnews.ru, conhecido por divulgar notícias falsas e discurso de ódio.

Os dados foram sendo divulgados durante o mês de dezembro, numa espécie de calendário adventício que culminou no dia 24, com os dados relativos ao principal partido, a CDU de Angela Merkel.