Desporto

Sérgio Conceição. "Rui Vitória? Temos de lhe dar mérito pelos títulos"

Treinador do FC Porto aborda a situação atual do Benfica e rejeita falar da possibilidade de contratar Pepe

A conferência de imprensa de antevisão do encontro desta segunda-feira entre o FC Porto e o Nacional serviu também para Sérgio Conceição comentar outros temas da atualidade dos dragões mas também do futebol nacional. Entre os quais, a saída de Rui Vitória do comando técnico do Benfica: embora frisando que o percurso do técnico ribatejano nas águias "já é passado", o treinador do FC Porto ressalvou também que não se pode esquecer as vitórias... de Vitória.

"Temos de dar o mérito pelos títulos que conquistou, não há nada a fazer porque conquistou títulos. A partir deste momento, o Benfica tem um novo treinador [Bruno Lage], jovem, que já demonstrou na formação que tem capacidade. O Benfica vai ter a sua vida e nós temos a nossa", realçou Sérgio Conceição, sendo bem mais taxativo quando confrontado com a possibilidade de Pepe reforçar os dragões: "Dizer o que dissesse sobre o Pepe... iam dar mais importância a isso do que ao jogo. Amanhã o Felipe não joga e tem de jogar um central no lugar do Felipe. Temos de ter alguma sensibilidade em relação a isso. Pode jogar o Mbemba ou Diogo Leite, o Chidozie jogou ontem na equipa B. Um dos dois vai fazer dupla com o Militão. Já me estou a esticar um bocadinho, porque estou a dizer que o Militão vai jogar, normalmente não digo!".

O reforço Fernando Andrade, por seu lado, mereceu comentários do treinador. "É um jogador dentro daquilo que eu penso, que quero para a equipa. Avançado, joga mais sobre a esquerda, joga na ala, é um jogador com características que aprecio. Já se sabe, este mercado de janeiro é bom para os grandes tubarões irem buscar jogadores que podem encaixar logo na equipa. Não há necessidade de adaptação. Agora nós vamos buscar soluções alternativas aos que normalmente jogam. É um bocadinho diferente", frisou, voltando a deixar críticas ao que considera ser o demasiado extenso mercado de inverno: "Não gosto deste mês de janeiro porque é muito tempo para as equipas fazerem ajustes e procurarem algumas soluções. E isso pode criar alguma instabilidade às equipas. Isso foi discutido no fórum da UEFA com os treinadores. É muito tempo o mercado aberto em janeiro. Pode haver situações excecionais, uma lesão, mas acho que uma semana seria suficiente para dar mais estabilidade ao que é um grupo de trabalho neste mês."

Para o encontro com o Nacional, o FC Porto sabe que não irá contar com Aboubakar e tem Brahimi, Otávio e Bruno Costa em dúvida. Sobre o argelino, o treinador garante que "não é bluff". "Vamos ver. Ele saiu com algumas queixas do jogo, hoje foi ao campo, mas ainda de forma condicionada. Amanhã vamos ver como ele está. Não é bluff, é mesmo... podem pensar que estou aqui armado em artista", atirou, adiantando ainda que "vai ser difícil" poder contar com Aboubakar ainda esta época: "Ele começou a pisar o campo um bocadinho antes do que se perspetivava, mas está muito longe ainda da recuperação. Há momentos em que o processo de recuperação acelera um bocadinho, outros em que estagna. Foi uma lesão muito grave, muito grave, mas nós vamos esperar por ele. Seja esta época, ou na próxima, vamos esperar por ele. Estamos com ele."

No que se refere ao adversário desta segunda-feira, Sérgio Conceição alertou para o registo goleador da formação insular nos jogos como visitante e garantiu ficar satisfeito por ver um antigo colega - no caso, Costinha - a ter sucesso como treinador. "Esta é a melhor fase do Nacional, não só em termos de resultados, mas também daquilo que a equipa faz em campo. É a equipa que tem mais golos fora: são 13, a par do Benfica. Isso por si só é sinónimo de uma equipa que vai à procura da baliza adversária. Nós estamos atentos a isso. Temos de perceber o que temos de fazer para causa mossa e desequilíbrios no último terço para podermos fazer golos. É um jogo difícil, que temos de assumir e ir à procura dos três pontos que é o que interessa. Costinha? Fico contente. As últimas gerações têm fornecido bons treinadores e bons dirigentes e é com grande prazer que vejo isso. Mostra que as últimas gerações não eram só jogadores de grande qualidade, mas também são boas pessoas, pessoas bem formadas, que querem aprender e ficaram ligadas ao futebol. Outros que não foram jogadores de referência também são grandes treinadores, porque ter sido jogador não é sinónimo de ser bom treinador, mas fico contente por ver ex-colegas no banco e a terem sucesso. E que eu os cumprimente no final dos jogos sempre mais feliz do que eles."

O FC Porto tem aqui a oportunidade de igualar o registo histórico de vitórias consecutivas no futebol português, conseguido em 2010/11 por Jorge Jesus no Benfica. Conceição, ainda assim, desvalorizou o assunto - como tem feito repetidas vezes nas últimas semanas. "Por acaso, na extensa entrevista que ele deu (nas várias, agora anda sempre a falar), esqueceu-se desse pormenor. Mas é porque não se lembrou porque é algo importante e dele... Ele normalmente gosta de realçar aquilo que faz de bem... Digo isto com carinho porque tenho um carinho enorme pelo Jorge Jesus", gracejou o técnico portista, que reagiu assim quando questionado sobre o facto de o FC Porto não ter qualquer empate no campeonato. "Não me fale nisso! Temos ganho... É a conclusão a que chego. Vamos sempre à procura de vitórias, trabalhamos sempre para atingir os três pontos, e conseguimos em algumas situações, depois de termos estado a perder, não só empatar, mas ganhar o jogo. E vamos continuar sempre à procura do golo e procurar não sofrer."