Politica

Marcelo ouviu as janeiras e fez apelo à tolerância

Presidente convidou a Sociedade Musical Vouzelense para cantar as janeiras em Belém quando visitou zonas do país afetadas pelos grandes incêndios do ano anterior

O Presidente da República assistiu hoje às tradicionais janeiras no Palácio de Belém, cantadas pela Sociedade Musical de Vouzela. E fez um apelo ao "espírito de família" e à tolerância, para que se evite a violência e a radicalização.

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que as janeiras "traduzem o espírito desta época", mas esse espírito deve "transitar para as outras épocas ao longo ao ano", em que se deve respeitar a riqueza de quem pensa "de maneira diferente".

"Seria insuportável de viver numa sociedade que fosse toda igual, igual nas ideias, nos projetos, nas ambições das pessoas, nas carreiras, nos sonhos", afirmou.

Para Marcelo, é essencial que haja "um respeito" e  "uma aceitação do pensamento dos outros". Para isso, deve haver um afastamento da "violência", da "agressividade excessiva"  e "das tentações ou provocações no sentido de radicalizar o que depois empobrece o espírito de família".

O chefe do Estado convidou a Sociedade Musical Vouzelense para cantar as janeiras em Belém, depois de ter visto os músicos, na sua maioria jovens, nas férias de Verão de 2018, quando visitou zonas do país afetadas pelos grandes incêndios do ano anterior.