Sociedade

‘Vamos ter de ter licenciaturas em inglês’

Universidade Nova está a apostar em licenciaturas em inglês para atrair mais estudantes internacionais

Em 2021, as escolas públicas do básico e secundário vão ter menos 109 mil alunos face a 2016. Menos alunos no básico e secundário são, também, menos alunos no Superior. Para o reitor da Nova, João Sàágua, a solução para contornar esta tendência passa por atrair mais alunos internacionais. 

As previsões do número de alunos do básico e secundário apontam para uma redução drástica nos próximos anos. Já se estão a preparar para esse problema? 

Sim, sem dúvida. Esse problema tem que ser encarado em duas frentes: há muitos jovens que não estão a ir para o Ensino Superior e que poderiam ir. Então, devemos fazer qualquer coisa para que essas pessoas passem a ir. Mas o ponto central é a atração de estudantes internacionais. Para lidar com essa situação, as universidades têm que ser globais. 

E as universidades portuguesas estão nesse campeonato? Quais são as mais valias de uma universidade portuguesa para captar um estudante inglês, por exemplo, quando há universidades britânicas de renome e quando os EUA também têm várias universidades de topo?

Em primeiro lugar, a qualidade do nosso ensino e da nossa investigação. Não haja nenhuma dúvida sobre isto. Se nós não formos percebidos do exterior como tendo um ensino e uma investigação de elevada qualidade, grande parte da nossa atração cairá imediatamente. E a seguir vamos ter de falar inglês. Não há dúvida nenhuma. O latim do século XXI é o inglês. Vamos ter de ter mais cursos em inglês. Vamos ter de ter a possibilidade de realizar um ciclo de estudos completo em inglês. 

Licenciaturas também?

Para atrair estudantes desde o início, as licenciaturas também. Temos de ter algumas licenciaturas em inglês. 

Já têm algumas?

As nossas duas licenciaturas em Economia e em Gestão já são integralmente em inglês. O nosso objetivo é, por áreas estratégicas da universidade, construir um percurso com cursos em inglês. Ou seja, dentro daquela mesma área, haver cursos em português mas permitir também a um estudante estrangeiro fazer um percurso académico completo e obter o grau em inglês. Isso já estamos a fazer, neste momento. Lançámos há um ano um semestre pré-universitário que é dado simultaneamente em português e em inglês. Permite aos estudantes pré-universitários terem contacto com  algumas matérias que vão ter na licenciatura. Se são estudantes portugueses podem ter esse semestre em português, mas se quiserem ou se são estudantes falantes de qualquer outra língua, têm em inglês. 

Quantos estudantes já frequentaram esse pré-semestre?

Começámos por 12 estudantes inscritos e para o próximo semestre já temos 46 alunos.