Politica

"Fazer o caminho para o fim das propinas é absolutamente possível”, defende Catarina Martins

A líder do Bloco de Esquerda propõe que medida para acabar com as propinas seja implementada já no próximo Orçamento do Estado

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, defendeu hoje que "o caminho para o fim das propinas é absolutamente possível". Como está à vista, é virtuoso do ponto de vista da qualificação do país, e é uma medida socialmente justa porque as pessoas todas, todas as famílias devem poder, se isso é o seu desejo, que os seus filhos frequentem o ensino superior, que é uma necessidade, naturalmente, de qualificação de cada um e do país".

A bloquista falava à margem de uma reunião com a empresa de distribuição de água EPAL, em Lisboa e,no final dessa reunião, falou aos jornalistas sobre o assunto.

A líder do BE fez ainda questão de dizer que vê "com muito agrado que finalmente seja possível discutir o fim das propinas", aproveitando para relembrar que, por proposta do próprio partido, "já no próximo ano as propinas vão descer 212 euros”. Esta medida "foi aprovada no último Orçamento do Estado", sublinhou.

"E o desafio que deixamos desde já a todos os partidos que concordam que é necessário universalizar o ensino superior, que dizem que precisamos ter mais estudantes no ensino superior, é que sejamos consequentes -- neste orçamento descemos 212 euros as propinas, no próximo [para 2020] desçamos, pelo menos, outros 212 euros as propinas", salientou Catarina Martins.