Vida

Zé do Pipo desapareceu há dois meses. Pais quebram silêncio sobre o cantor

Os pais do cantor deram uma entrevista para o programa 'Você na TV'

Nuno Batista, conhecido como Zé do Pipo, desapareceu em novembro junto à praia de Peniche, onde foram encontrados o seu carro e os documentos. Entretanto já não há buscas a decorrer e nunca se chegou a saber o que havia acontecido ao artista.

Os pais de Zé do Pipo, Carlos e Rosa, deram uma entrevista a Manuel Luís Goucha que foi transmitida esta quinta-feira, na TVI, e garantem que não têm esperanças de que o filho ainda esteja vivo.

"Ainda alimentam esperanças de que o vosso filho esteja vivo? ", perguntou o apresentador. "Não. Não derivado à doença que ele tinha, à bipolaridade muito avançada, derivado a certas coisas que ele recorreu para ver as marés, chegou a dizer ao psiquiatra que faria o que nós temos no pensamento", explica o pai do cantor, remetendo para o suicídio.

"Chegou a dizer à mulher se um dia fizesse era para ela o perdoar. E deixou de ter intimidade para com a família, deixou de lidar com a família. Dizia diretamente à família que não sentia nada por nós, pela vida", acrescentou.

Segundos os pais do artista, a única forma de lidar com a doença de Zé do Pipo era impedindo-o de sair de casa.

“Fomos reagindo não o deixando sair de casa, não o deixando conduzir, e dentro do possível fomos resguardando-o. Só que ele uma semana antes do desaparecimento , foi um grande ator… Deu a enteder que estava a melhorar, que estava melhor. E a partir daí que começamos a ver o que ele fez", contou o progenitor.

"O nosso filho tinha uma doença bipolar e sofria de uma depressão. Em 2016 teve 3 a 4 meses de paragem derivado a uma depressão”, revelaram.

"Em 2017 deixou a medicação por auto-recriação dele porque se sentia melhor. Cortou completamente com a medicação, sem fazer desmame. ‘Ó mãe sinto-me tão bem porque é que vou fazer um desmame?’(...) A partir do mês de agosto de 2018 ele que começou a sentir aquele vazio, já era um sacrifício sair de casa, voltou a tomar medicação. O psiquiatra quis dar uma medicação que lhe permitisse fazer os espetáculos, que tinha muitos para fazer até dezembro”, contaram os pais do artista, acrescentando que o fim da carreira de Zé do Pipo foi ditada pela incompatibilidade dos espetáculos com a medicação.

Para os pais do artista, não restam dúvidas, Zé do Pipo terá decidido acabar com a sua vida.

“Foi no sítio onde o ensinei a nadar. Foi para onde ele quis ir foi para onde eu o ensinei a nadar", rematou a mãe.