Internacional

"Disse-lhe 'Julen, calma, o pai está aqui e o teu irmãozinho vai ajudar-nos'"

Esta não é a primeira vez que uma tragédia se abate sobre a família. Em 2017, o casal tinha perdido um filho de três anos

DR  


O pai de Yulen, o menino de dois anos que no passado domingo caiu num poço com mais de 100 metros de profundidade e 25 centímetros de diâmetro, em Málaga, pediu para que não duvidem que a criança caiu mesmo naquele local, depois de haver quem sugerisse que este não teria de facto caído no poço.

"O meu filho está aqui, que ninguém o ponha em dúvida. Oxalá fosse impossível que estivesse no poço, como já ouvi. Oxalá fosse eu ali em baixo e que ele estivesse aqui em cima com mãe", disse José, citado pelo jornal El País.

Esta quarta-feira  as autoridades confirmaram que um cabelo que foi encontrado após o desaparecimento pertence a Yulen, o que dá a certeza de que a criança está no poço.

“Continuo a preservar a esperança de que o meu filho está vivo (...) Temos um anjo que vai ajudar a que o meu filho saia vivo dali o mais rápido possível”, acrescentou.

Em lágrimas, o pai de Yulen relatou ainda como tudo aconteceu.

"Ainda o ouvi chorar, mas depois deixei de o ouvir", contou, relembrado o momento da queda.

"Disse-lhe 'Julen, calma, o pai está aqui e o teu irmãozinho vai ajudar-nos'", disse José, que fez ainda um agradecimento às autoridades.

"Quero agradecer às autoridades por tudo o que têm feito pelo meu filho. Mantenho a esperança de que vão encontrá-lo. Estou aqui há três dias, mas parece que estou aqui há um mês", confessou.

Recorde-se que as operações de resgate continuam em curso e as autoridades mantêm a esperança de que Yulen ainda está vivo.

Esta não é a primeira vez que uma tragédia se abate sobre a família. Em 2017, o casal tinha perdido um filho de três anos.