Economia

Altice. Operadora em Portugal lança programa de saídas voluntárias

Programa tem “caráter voluntário” e não tem objetivos mínimos ou máximos. Só podem aderir trabalhadores a partir dos 50 anos

 

DR  

A Altice Portugal avançou ontem com um programa de saída voluntárias para trabalhadores com mais de 50 anos. O CEO da operadora garantiu que terá um “caráter voluntário” e que não “há objetivos mínimos ou máximos de candidaturas”, revelou Alexandre Fonseca, num encontro com jornalistas. Atualmente, a operadora conta com cerca de 2 mil trabalhadores desta faixa etária, num universo de 8500.

Trata-se do Programa Pessoa e pretende que os colaboradores, desde que respondam aos requisitos de idade, “possam trocar a vida laboral ativa por outros interesses ou ambições pessoais”, diz a operadora.

O programa vai funcionar em duas modalidades: suspensão de contrato de trabalho para colaboradores entre os 50 e os 55 anos de idade, em que receberão 100% do vencimento-base e diuturnidades, acrescidos de 50% de outras rubricas remuneratórias. Outra hipótese é os trabalhadores aderirem à pré--reforma. Neste caso destina-se a trabalhadores com mais de 55 anos de idade, que recebem 80% do valor correspondente à suspensão de contrato de trabalho.

De acordo com a empresa, os trabalhadores que aderirem a este programa continuam a beneficiar do plano de saúde e dos descontos nos pacotes de comunicações - hoje beneficiam de um desconto de 60% sobre o pacote-base. 

Para Alexandre Fonseca, com esta saída voluntária de trabalhadores abre-se a porta para que a empresa possa contratar novos quadros, pois existe a necessidade de rejuvenescimento dos quadros. No entanto, não quis comprometer-se com quantas pessoas poderão entrar na operadora, uma vez que “tudo vai depender da adesão”. Ainda assim, deixou uma garantia: todos os valores dos que entram e saem estão contemplados no plano de orçamentação. 

Em relação às áreas que poderão ser reforçadas, o CEO da operadora garantiu que as apostas serão feitas em áreas “em que, hoje, a Altice Portugal ainda não tem competência ou não é tão forte”.

Os trabalhadores que estejam interessados em aderir a este programa poderão candidatar--se até ao próximo dia 4 de fevereiro. No entanto, a empresa lembra que “todas as candidaturas serão analisadas pela direção do seu departamento, recursos humanos e administração”. 

Quanto aos cerca de cem trabalhadores que estão em casa sem funções, Alexandre Fonseca esclareceu que terão de voltar à empresa até ao final deste mês e abraçar novas funções. Mas as que estiveram neste universo de 50 anos também poderão aderir ao programa de saídas voluntárias. 

Negociações com Eleven Sports Alexandre Fonseca confirmou também, ontem, o regresso às negociações com a Eleven Sports, que continua a ser um exclusivo da Nowo, uma vez que só esta operadora transmite os campeonatos nacionais dos vários países europeus, bem como a Liga dos Campeões De acordo com o CEO da Altice, “houve uma mudança de postura”. 

Recorde-se que o responsável tem sido um dos principais críticos deste negócio com a Nowo, referindo que a sua empresa “prima por integrar os melhores conteúdos na sua plataforma de TV, desde que os mesmos estejam disponíveis respeitando os critérios equilibrados de caráter financeiro, operacionais e, acima de tudo, de transparência”.

O preço que está a ser pedido tem sido um entrave para que as negociações cheguem a bom porto, não só com a Altice como também com a Vodafone e a Nos - uma questão que tem sido desvalorizada pela operadora de canais desportivos ao considerar que os valores que “estão em cima da mesa são justos e razoáveis”.