Sociedade

SEF detém última suspeita de pertencer a grupo criminoso que recrutava portuguesas para casar

Rede recrutou 50 portuguesas para casamentos falsos.

DR  

Na manhã desta quinta-feira, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) deteve, em Lisboa, a última suspeita de pertencer a um grupo criminoso organizado que recrutou, pelo menos, 50 mulheres portuguesas para casamentos falsos.

O grupo está indiciado “pelos crimes de associação ao auxílio à imigração ilegal, imigração ilegal, falsificação ou contrafação de documentos, casamentos de conveniência e associação criminosa”, lê-se no comunicado do SEF enviado à comunicação social.

“No âmbito da operação “Amouda”, iniciada na passada terça feira, o SEF, em colaboração com as autoridades belgas, havia sido detidos três suspeitos. Os mesmos foram presentes ontem a Tribunal tendo-lhe sido aplicada a medida de prisão preventiva, no Estabelecimento Prisional de Lisboa. Foi ainda constituída arguida uma advogada e um quinto suspeito ficou obrigado a apresentações diárias na PSP da área de residência. A mulher detida hoje, angariadora e nubente, será ouvida amanhã no Tribunal de Loures, a fim de serem aplicadas as devidas medidas de coação”, pode ler-se na mesma nota.

A operação contou com o apoio da Europol e da Eurojust e, ao todo, foram realizadas 18 buscas domiciliárias, onde foram encontrados “dezenas de documentos falsificados, apreendido diversos equipamentos informáticos (laptops, desktops e outros dispositivos móveis), grandes quantias de dinheiro e, ainda, produto estupefaciente”.

O grupo criminoso estava envolvido na facilitação da imigração ilegal.