Sociedade

Estas são as 10 ameaças que poderemos ter de enfrentar em 2019

Informação surge no Global Risk Report, realizado pelo Fórum Económico Mundial

Ainda agora começou o ano e já muitas coisas com que nos preocupar. Mas será que se está a preocupar com o que realmente importa? A edição deste ano do Global Risk Report, realizado pelo Fórum Económico Mundial, mostra as 10 ameaças que vamos ter de enfrentar em 2019.

Este relatório é feito com base nos testemunhos de 1000 decisores que pertencem a setores públicos e privados. São feitos dois rankings: o top 10 de ameaças com maior probabilidade de ocorrer e uma lista para aquelas que terão maior impacto na sociedade.

“Será que o mundo está a caminhar para uma crise sem se aperceber? Os riscos globais estão a intensificar-se, mas a vontade coletiva de enfrentá-los parece estar a esmorecer. Em vez disso, as diferenças parecem ser cada vez mais evidentes”, lê-se no documento. “De todas as ameaças, a questão ambiental é aquela o mundo mais ignora”, acrescenta.

O ranking das 10 ameaças que têm maior probabilidade de acontecer inclui “bolhas de ativos numa economia mundial (10º lugar), escassez de água (9º lugar) e perda de biodiversidade e colapso de ecossistemas”. O sétimo lugar da lista vai para a “migração involuntária a grande escala”, o sexto para os “desastre ambientais causados pelo Homem”, o quinto para os “ciberataques” e o quarto para o “roubo e manipulação de dados”.

O top três desta lista é ocupado pelos “desastres naturais (3º lugar), falhas na adaptação e mitigação das alterações climáticas (2º lugar) e eventos meteorológicos extremos (1º lugar)”. Ou seja, de todas as ameaças, aquelas que têm maior probabilidade de acontecer estão relacionadas com o meio ambiente.

Já no que diz respeito ao top 10 das ameaças que terão mais impacto, o 10º lugar vai para “a proliferação de doenças infecciosas”, o 9º para os “desastre ambientais causados pelo Homem”, o 8º para a “quebra de infraestruturas de informação crítica” e o 7º para os “ciberataques”.

O sexto lugar desta lista foi atribuído à “perda de biodiversidade e colapso de ecossistemas”, o quinto aos “desastres naturais” e o quarto à “escassez de água”.

Os três primeiros lugares deste ranking vão para os “eventos meteorológicos extremos (3º lugar), falhas na adaptação e mitigação das alterações climáticas (2º lugar) e o uso de armas de destruição maciça (1º lugar)”. Mais uma vez, ameaças relacionadas com o meio ambiente ocupam os principais lugares da lista, com apenas a primeira posição do ranking relacionada com problemas geopolíticos – o relatório refere que 9 em cada 10 participantes neste inquérito acreditam que os confrontos políticos já existentes deverão piorar ao longo deste ano.

Apesar das ameaças ambientais ocuparem os principais lugares das duas listas, existem outros problemas que estão a ganhar cada vez mais ‘terreno’, como as questões relacionadas com tecnologia.

“O mundo enfrenta um número crescente de desafios complexos – desde o crescimento global lento e a desigualdade económica até às alterações climáticas, às tensões geopolíticas e ao ritmo acelerado da Quarta Revolução Industrial. De forma isolada, estes são desafios assustadores; encarados de forma simultânea, teremos sérias dificuldades se não trabalharmos todos juntos. Nunca existiu uma necessidade tão grande de recorrer a uma abordagem em conjunto para enfrentar os problemas globais”, defende Børge Brende, presidente do Fórum Económico Mundial.