Politica

Carlos César aponta o dedo ao BE no caso de violência do Bairro da Jamaica

O líder parlamentar do PS disse que as declarações do Bloco estão a “perturbar a intervenção das forças da ordem, que têm por dever assegurar a tranquilidade pública”

O líder do grupo parlamentar do PS, Carlos César, acusou o Bloco de Esquerda de estar a “acirrar ânimos” nos casos de violência que desde este fim de semana têm marcado a Grande Lisboa e que começaram no Bairro da Jamaica, no Seixal.

César disse, depois da reunião do grupo parlamentar, que o partido que apoia o governo está a “perturbar a intervenção das forças da ordem, que têm por dever assegurar a tranquilidade pública”.

Em causa está a publicação de um vídeo com cenas de violência entre os polícias e os moradores do Bairro da Jamaica, este domingo, pela deputada bloquista Joana Mortágua, e a partilha de um texto do assessor do BE e dirigente do SOS Racismo, Mamadou Ba, em que chama “bosta da bófia” às autoridades policiais e acusa-as de racismo no caso dos episódios de violência .

Os socialistas condenam "veementemente as declarações que a esse propósito têm sido feitas pelo Bloco de Esquerda que não têm contribuído, em nenhum dos momentos, para a tranquilidade e para o bom esclarecimento do que está em causa", reforçou o líder parlamentar.

Para além de “condenar” as ocorrências, Carlos César reforçou que estas situações “são inéditas e pouco comuns” em Portugal.