Economia

Caixa. CMVM garante que está a fazer um acompanhamento “cuidadoso”

Gabriela Figueiredo Dias revelou que a CMVM não teve acesso ao relatório, mas também “não pediu para ter e não tem de pedir”.

O regulador dos mercados financeiros não teve acesso à auditoria à Caixa, mas garante que pode intervir se for necessário.

“A auditoria à Caixa foi conduzida por um auditor sujeito à nossa supervisão, e, como tal, está sob o nosso radar. O acompanhamento que estamos a fazer do caso é atento e cuidadoso e, se entendermos que devemos intervir, fá-lo-emos. Neste momento não somos uma parte da questão”, revelou Gabriela Figueiredo Dias, num encontro com jornalistas.

No entanto, explicou que uma eventual intervenção por parte do supervisor passa por “verificar se o auditor fez bem o seu trabalho, ou seja, se aplicou ou não as regras a que está obrigado. A função do supervisor nesta matéria é verificar se o auditor cumpriu as regras”.

Gabriela Figueiredo Dias revelou também que a CMVM não teve acesso ao relatório, mas também “não pediu para ter e não tem de pedir”, acrescentando que “até ao momento não há razão para termos acesso”, indicou. Mas deixou uma garantia: “Iremos fazer um acompanhamento tão próximo e cuidadoso quanto possível”, sublinhou.