Vida

“Se não comerias um cão, porque comes cordeiro?”

Associação de defesa dos animais usou cão em peluche para simular um churrasco

“Se não comerias um cão, porque comes cordeiro?”. Este é o mote da mais recente campanha da People for the Ethical Treatment of Animals (PETA), que simulou um churrasco com um cão nas ruas de Sidney, na Austrália. Ainda que à primeira vista possa parece real, o cão é apenas um peluche.

Com esta campanha, os ativistas pretenderam alertar os australianos para não consumirem carne. Aproxima-se o feriado nacional do país, assinalado por muitos com churrascos.

A complementar a campanha na rua, em comunicado a organização defende que "quem sinta repulsa pela ideia de mastigar carne de cão deveria questionar a incongruência da sua compaixão para com outros animais. Isto é especismo – uma forma de discriminação baseada em espécies diferentes de animais - e, como todas as formas de discriminação, não deve ser justificado".

A espécie humana deve "sentir compaixão e empatia por animais", defende ainda a PETA, lamentando que os humanos sejam "ensinados de que é aceitável aprisionar e comer alguns deles, sem pensar uma segunda vez quem eles são como indivíduos".