Economia

Notas de 500 euros chegam ao fim mas mantêm valor

Só Alemanha e Áustria vão continuar a emitir até 26 de abril. As que estão em circulação vão ser recolhidas e destruídas

As notas de 500 euros têm o seu fim anunciado. Desde ontem que 17 dos 19 bancos centrais nacionais da zona euro deixaram de emitir estas notas. A exceção recairá na Áustria e na Alemanha que vão continuar a emitir até 26 de abril de 2019 por “motivos logísticos”, e “a fim de garantir uma transição harmoniosa”, revelou o Banco Central Europeu (BCE). 

As notas de 500 euros que estão em circulação vão ser recolhidas e destruídas, no entanto, vão manter o seu valor por um período ilimitado. “À medida em que as notas de 500 euros forem sendo depositadas nos Bancos Centrais Nacionais (BCN) da Área do Euro, entre os quais o Banco de Portugal, são destruídas”, explicou o Banco de Portugal. Também as notas de 500 euros que, em 26 de abril de 2019 – nos casos dos Bancos Centrais da Alemanha e da Áustria – estiverem já na posse dos BCN, serão destruídas em seguida. 

De acordo com a entidade liderada por Carlos Costa, este “processo é idêntico ao que vem ocorrendo relativamente às notas da 1.ª série do Euro (5 euros a 50 euros) que já foram substituídas pelas notas da série Europa, com a única diferença de que não haverá uma nota de 500 euros da série Europa”.

As notas de 500 euros existentes mantêm o curso legal, sendo possível continuar a utilizá-las como meio de pagamento e reserva de valor, também as instituições de crédito, as agências de câmbio e outras entidades comerciais podem continuar a usar as notas de 500 euros existentes.

Em relação ao número de notas de 500 euros em circulação em Portugal, o regulador respondeu que “não é possível” saber quantas destas notas circulam efetivamente no mercado nacional. Mas no final do ano passado, segundo os últimos dados do BCE, estavam em circulação cerca de 521 milhões de notas de 500 euros, num valor de mais de 260 mil milhões de euros

No início de maio de 2016 que o BCE decidiu descontinuar a produção e emissão da nota de 500 euros, tendo decidido também excluí-la da série Europa, a segunda série de notas de euro, devido aos receios de que esta nota pudesse facilitar atividades ilícitas.