Sociedade

Condenado a 12 anos por violar filha e enteada menores

Abusos começaram quando vítimas tinham nove anos

O Juízo Central Criminal do Porto condenou, na sexta-feira passada, um homem de Gondomar a 12 anos de prisão por abusar sexualmente da sua filha e de uma enteada durante anos.

O homem, de Gondomar, foi condenado pela prática de 164 crimes, de um total de 110 crimes de abuso sexual agravado e outros 54 de abuso sexual de menores dependentes agravado.

"Na fixação da pena concreta, o tribunal teve em conta, entre o mais, as elevadas exigências de prevenção geral face à frequência da prática de crimes como os praticados pelo arguido", informou a Procuradoria Distrital, esta quarta-feira, no seu site.

O tribunal reconheceu ainda, na decisão da sentença, "ressonância social de repulsa que tal prática gera, com o alarme social, a intranquilidade e a insegurança que lhe estão inerentes".

Ficou dado como provado que o pai abusou sexualmente da filha desde 2009, altura em que a menor tinha 9 anos de idade, até setembro de 2017.

Já a enteada, dois anos mais nova do que a filha, foi vítima dos abusos sexuais entre 2011 e dezembro de 2017.

A maioria dos crimes foi praticada na residência comum em Gondomar, mas pelo menos uma das vezes ocorreu numa zona de monte em Valongo.