Politica

Marcelo já conta com CDS e agita PS

‘Grande vontade’ do Presidente em recandidatar-se levou Cristas a adiantar-se. Rio preferiu não se ‘colar’ já. E no PS já se fala em alternativas, como Augusto Santos Silva ou Carlos César.

Ainda faltam dois anos para as presidenciais, mas o Presidente da República vai dando sinais de que terá vontade em recandidatar-se, como manda a tradição.

O desabafo foi feito no estrangeiro, no Panamá, na semana passada, onde Marcelo Rebelo de Sousa reconheceu «uma grande vontade» em voltar a concorrer ao cargo. Isto se «Deus ...[lhe] der saúde» e  não houver «ninguém em melhores condições para receber o Papa»  em 2022, nas jornadas mundiais da juventude que se realizarão em Lisboa.

A frase de Marcelo Rebelo de Sousa acabou por obrigar os partidos à direita do PS a definirem posições. O líder do PSD, Rui Rio, foi o mais cauteloso: «O normal é recandidatar-se. Todos os Presidentes se recandidatam a um segundo mandato». E é com este argumento que vários militantes do PSD, ouvidos pelo SOL, acreditam que Marcelo deve voltar a concorrer a um novo mandato, mesmo que dê sinais contraditórios ou remeta a decisão para o verão de 2020.

Rio não declarou apoio a Marcelo, mas a  presidente do CDS, Assunção Cristas,  fez questão de o dizer com todas  as letras: «Obviamente, quem apoiou à primeira apoia à segunda».  Porém, a declaração não colhe unanimidade no CDS.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do SOL, já nas bancas