Politica

Costa desiste da maioria absoluta

“É virtualmente impossível", diz o primeiro-ministro 

Pela primeira vez o primeiro-ministro reconhece que “é virtualmente impossível uma maioria absoluta” considerando que “só em situações muito excecionais se conseguem”.

Em entrevista à SIC, o primeiro-ministro assume como meta “o melhor resultado possível” abrindo cada vez mais a porta à repetição da solução da geringonça: “Em equipa que se ganha não se mexe”.  

António Costa aproveitou ainda a ocasião para voltar a repetir que afasta o cenário de integrar o Bloco de Esquerda num futuro governo. Questionado sobre se trocaria Mariana Mortágua por Mário Centeno na pasta das Finanças, a resposta foi clara: “obviamente que não”.

Sobre as europeias, marcadas para dia 26 de maio, António Costa diz que espera “ter um resultado melhor” face ao que registou na última ida às urnas para escolher os eurodeputados, em 2014.